Tias façam alguma coisa .... Mais de 150 mil filhos de pai incógnito em Portugal Há mais de 150 mil portugueses sem o nome do pai no Bilhete de Identidade.

Novo Tópico   Responder ao tópico

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Tias façam alguma coisa .... Mais de 150 mil filhos de pai incógnito em Portugal Há mais de 150 mil portugueses sem o nome do pai no Bilhete de Identidade.

Mensagem por Vitor mango em Dom Maio 23, 2010 3:16 am


Mais de 150 mil filhos de pai incógnito em Portugal
Há mais de 150 mil portugueses sem o nome do pai no Bilhete de Identidade. A maioria tem mais de 35 anos, até porque ser filho de pai incógnito é uma realidade que a lei forçou a diminuir.

Há mais de 150 mil portugueses sem o nome do pai no Bilhete de Identidade. A maioria tem mais de 35 anos, até porque ser filho de pai incógnito é uma realidade que a lei forçou a diminuir.

Ainda assim, segundo dados do Ministério da Justiça (MJ) fornecidos à agência Lusa, mais de oito mil crianças com menos de 15 anos não têm paternidade definida.

"Divergências entre progenitores, comportamentos de risco ou fatores sociais [como filhos nascidos de pais não casados antes de 1976] conduzem a que muitas vezes fique omissa a paternidade na declaração de nascimento", refere o MJ.

Antes do 25 de Abril, nascer fora do casamento era ser ilegítimo e muitas mulheres suportaram sozinhas a educação das crianças.
151 889 filhos de pai incógnito

"O peso da palavra era esmagador e de uma tremenda injustiça. A ilegitimidade era não reconhecer o filho e envergonhar-se de o ter tido", diz o pediatra Mário Cordeiro.

Dos 151 889 portugueses com paternidade desconhecida, 108 195 tem acima de 35 anos (mais de 70 por cento).

É o caso de Paulo, que prestes a completar 40 anos nunca foi assumido ou procurado pelo pai e tem no BI uma lacuna que surpreende muita gente.

"Quando casei, fui tratar da certidão de nascimento e a funcionária pensou que havia um erro. Ficou incrédula com a falta do nome do pai", conta à Lusa.

Paulo soube desde cedo a sua história. A mãe assumiu-lhe sempre que o pai não o quisera, contando-lhe todos os pormenores, inclusivamente quem era o homem que biologicamente o tinha gerado.
"Não tenho memória praticamente de nada da minha infância"

"Curiosamente sei bem quem ele é. Já me cruzei profissionalmente com ele várias vezes, até porque quis o destino que seguisse a mesma área. Já lhe falei, já lhe apertei a mão até, mas ele não sabe quem sou. Porque nunca quis saber", relata.

Garante que nunca teve vontade de o confrontar e que agora convive bem com a ausência de apelido paterno. Mas admite que a situação teve consequências: "Não tenho memória praticamente de nada da minha infância até aos sete anos".

Para o pediatra Mário Cordeiro, a verdade contada "de forma calma e progressiva" pode mitigar a desilusão e a dor: "Mas há sempre alguma dose de perplexidade e de sentimento de rejeição".

"As pessoas aguentam muito. E o passado não é necessariamente o futuro. As crianças não estariam condenadas à partida, porque poderiam encontrar outras pessoas de referência que representariam a figura psicológica do pai", defende.

Casos de rejeição de filiação são hoje mais raros, até por imposição legal, com a alteração ao Código Civil em 1976, que pretendeu salvaguardar os direitos fundamentais das crianças.

Além da falta de obrigação legal de filiação, na década de 70 a ciência não dispunha dos meios atuais de determinação da paternidade.
Vantagens da exigência da filiação


"Esta mudança teve um impacto enorme na qualidade de vida das crianças", refere a socióloga Vanessa Cunha, "na medida em que o estabelecimento da filiação poderá abrir a porta à construção de uma relação entre pai e criança, que de outra forma poderia não acontecer, pelo desconhecimento da situação, pela dúvida".

Também para Mário Cordeiro as vantagens da exigência da filiação são claras "para a criança, para a mãe e para a construção de um país baseado na responsabilidade e na exigência de rigor".

O pediatra sublinha que a nível europeu há até leis que "comprometem estrangeiros que 'façam filhos' quando estão de férias noutro país".

Atualmente, em Portugal, sempre que há um registo de nascimento com paternidade omissa é enviada certidão ao tribunal para processo de averiguação oficiosa.

Nos últimos três anos, entraram nos tribunais 6364 processos, uma média de cinco casos por dia.

E estes processos parecem estar a aumentar: em 2009 houve mais 598 processos do que 2008 e mais 895 do que em 2007. Nem todos conseguem ser resolvidos.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***
Nota da Direcção do Expresso

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.

Vitor mango

Pontos : 106507

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tias façam alguma coisa .... Mais de 150 mil filhos de pai incógnito em Portugal Há mais de 150 mil portugueses sem o nome do pai no Bilhete de Identidade.

Mensagem por Joao Ruiz em Dom Maio 23, 2010 3:54 am

Resumindo e concluindo - excelente comportamento do tal sexo que se reclama de forte... apenas para com os fracos e que precisa de regulamentação legal, para ter um pouco de vergonha na cara...

Embarassed Rolling Eyes Razz Evil or Very Mad Suspect No pirat alien cat monkey affraid

_________________
Amigos?Longe! Inimigos? O mais perto possível!

Joao Ruiz

Pontos : 32035

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tias façam alguma coisa .... Mais de 150 mil filhos de pai incógnito em Portugal Há mais de 150 mil portugueses sem o nome do pai no Bilhete de Identidade.

Mensagem por Vitor mango em Dom Maio 23, 2010 8:13 am

João Ruiz escreveu:Resumindo e concluindo - excelente comportamento do tal sexo que se reclama de forte... apenas para com os fracos e que precisa de regulamentação legal, para ter um pouco de vergonha na cara...

Embarassed Rolling Eyes Razz Evil or Very Mad Suspect No pirat alien cat monkey affraid

Pai só ha um e nao esta no ceu
e a madame por acaso letrada e drª
No Brasil con heci duas madames e ambos os casos eram e foram obra para estudos de psicologia
Uma a madame EVA ( nome ficticio ) tinha uma filha de 14 anos ( nao é peiada á Diana ) e a madame por acaso letrada e drª ...sabia quem era o pai da criança que nunca se assumiu
A madame era insuniANTE culta e pensava eu kus meus botões o que leva um gajo a rejeitar Obra obrada
- nunca percebi mas tinha pistas ...talvez o medo e a nãso posse espeiritual
mas confesso0 que ..

A segunda madame comestivel foi vendida a uma tia quando tinha 14 anos
Segurou-se ao mango como o milho se agarra ao carolo
Tinha uma diferença de 14 kilatos anuais
Um dia quano o pai real morreu veio-me cair nos braços soluçando perdidamente
mais
A madame adquiriu á sua custa um alto lugar de secretaria no Governo
mais ainda
Tinha nove irmaos
mais ainda
Era ela que ia ao Supermercado e comprava para os pais os alimentos para a semana
Eiu sei porque era o meu carro que levava tudo para a casa alugada e paga pela madame

Uma madame que nao tenha uma relaçao de afecto paternal jamaizs e alguma vez consegue atingir orgasmicamente o ceu

O Freud que era um chato dizia que era a mãe que condicionava um gajo
No Brasil meus kridos tive a rara oportunidade de ver casos estranhos e sentimentais num mundo onde a sewxualidade feminina é mantida e dançada na rua assumindo as madamnes a sua vitalidade
ERROS tremendos que colocam as madames no campo oposto que ...

Vitor mango

Pontos : 106507

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tias façam alguma coisa .... Mais de 150 mil filhos de pai incógnito em Portugal Há mais de 150 mil portugueses sem o nome do pai no Bilhete de Identidade.

Mensagem por Viriato em Dom Maio 23, 2010 10:18 am

150.000???? E eu que só comheço um. Mas mora longe, lá para o outro lado do Atlãntico!!!!

Viriato

Pontos : 16657

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tias façam alguma coisa .... Mais de 150 mil filhos de pai incógnito em Portugal Há mais de 150 mil portugueses sem o nome do pai no Bilhete de Identidade.

Mensagem por Joao Ruiz em Dom Maio 23, 2010 10:26 am

Tssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss!

Lá vem vendetta poverina!!!!



Laughing Laughing Laughing Laughing Laughing Laughing Laughing Laughing Laughing Laughing Laughing

_________________
Amigos?Longe! Inimigos? O mais perto possível!

Joao Ruiz

Pontos : 32035

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tias façam alguma coisa .... Mais de 150 mil filhos de pai incógnito em Portugal Há mais de 150 mil portugueses sem o nome do pai no Bilhete de Identidade.

Mensagem por Viriato em Dom Maio 23, 2010 10:27 am

Também o conhece??? Que coicidência!!!!!

Viriato

Pontos : 16657

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tias façam alguma coisa .... Mais de 150 mil filhos de pai incógnito em Portugal Há mais de 150 mil portugueses sem o nome do pai no Bilhete de Identidade.

Mensagem por Joao Ruiz em Dom Maio 23, 2010 10:45 am

Viriato escreveu:Também o conhece??? Que coicidência!!!!!

E não conheço grande bisca!!!!

Laughing Laughing Laughing

_________________
Amigos?Longe! Inimigos? O mais perto possível!

Joao Ruiz

Pontos : 32035

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tias façam alguma coisa .... Mais de 150 mil filhos de pai incógnito em Portugal Há mais de 150 mil portugueses sem o nome do pai no Bilhete de Identidade.

Mensagem por Viriato em Dom Maio 23, 2010 10:57 am

João Ruiz escreveu:
Viriato escreveu:Também o conhece??? Que coincidência!!!!!

E não conheço grande bisca!!!!

Laughing Laughing Laughing


Ser filho de pai incógnito, na maioria dos casos, não representa desonra alguma para o próprio nem para a mãe. Na quase totalidade das vezes, é pura cobardia do pai. Foi muito usado durante séculos nas relações furtivas entre patrões e empregadas. Hoje a lei não permite. Exige investigação. Mas como a nossa justiça é aquela que sabemos, tudo fica mais ou menos na mesma. No caso presente, soube-o por mero acaso. Não é propriamente um ataque pessoalizado.

Viriato

Pontos : 16657

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tias façam alguma coisa .... Mais de 150 mil filhos de pai incógnito em Portugal Há mais de 150 mil portugueses sem o nome do pai no Bilhete de Identidade.

Mensagem por Vitor mango em Dom Maio 23, 2010 11:31 am

Ser filho de pai incógnito, na maioria dos casos, não representa desonra alguma para o próprio nem para a mãe. Na quase totalidade das vezes, é pura cobardia do pai. Foi muito usado durante séculos nas relações furtivas entre patrões e empregadas. Hoje a lei não permite. Exige investigação. Mas como a nossa justiça é aquela que sabemos, tudo fica mais ou menos na mesma. No caso presente, soube-o por mero acaso. Não é propriamente um ataque pessoalizado.

Tocou inteiramente no buraco
A santa Se na altura em que LUtero la foi o metodo da filharada que emprehava as madames era facil de resolver
Ia ao campo e batiam nas costas de um manel Qualquer

Tu maniel vais ser pai ( porra onde é que eu ja ouvi isto ?

Vitor mango

Pontos : 106507

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tias façam alguma coisa .... Mais de 150 mil filhos de pai incógnito em Portugal Há mais de 150 mil portugueses sem o nome do pai no Bilhete de Identidade.

Mensagem por Vitor mango em Qua Abr 30, 2014 12:57 am

amen

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ

Vitor mango

Pontos : 106507

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tias façam alguma coisa .... Mais de 150 mil filhos de pai incógnito em Portugal Há mais de 150 mil portugueses sem o nome do pai no Bilhete de Identidade.

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 1:10 pm


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você pode responder aos tópicos neste fórum