o político e os patetas

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

o político e os patetas

Mensagem por Viriato em Dom Jan 16, 2011 10:24 am

Não sou um incondicional de Clara Ferreira Alves. Depende dos dias dela. Assim como Sousa Tavares. Mas desta vez CFA é implacável. E acerta em cheio. Vale a pena perder uns minutozinhos....


o político e os patetas

CLARA FERREIRA ALVES



Não me lembro de uma campanha eleitoral com maior indigência política do que esta. Lá estão eles na televisão, a falar de quê? Cavaco admite que ele e a mulher não passam de dois mÍseros professores, dois pobres professores, que puseram as suas poupanças, as poupanças de toda uma vida, num banco onde por acaso tinham uns amigos e conhecidos, e por acaso tiveram um lucro de cento e tal por cento sem como nem porquê. Um banco ao qual devemos todos nós, portugueses, milhões de euros. Assim, nem se sabe bem como. É uma daquelas coisas que acontecem a todos, até a nós, portugueses.

Quem ouvir Cavaco acha que o homem esteve estes anos todos exilado, e nunca foi nada, nunca quis ser nada mais do que um pobre professor e um agricultor de anonas, anonas que são todas oferecidas para solidariedade social. O Cavaco primeiro-ministro dez anos, o Cavaco candidato presidencial que perdeu com Jorge Sampaio (sim, perdeu, leram bem) e o Cavaco de cinco anos de Presidência da República e de "magistratura passiva" (visto que só agora nos propõe a ativa) nunca existiram. E o Cavaco que estes anos todos continuou a usar o controlo remoto para comandar o PSD e os seus líderes também nunca existiu. Resta-nos um professor (e a sua mulher) cheio de indignação existencial perante a legitimidade política da pergunta sobre a sua relação com a quadrilha do BPN.

Um candidato destes, que não se sabe que programa político tem, que convicções tem, deveria ser facilmente derrotado por outro candidato com força e com programa. Certo? O pior é que ouvimos os outros candidatos e parece que chegámos à Disneylândia. Mais uma caterva de homens sérios sem uma ideia política dentro da cabeça. O mais penoso é Fernando Nobre, que não se sabe ao que vem nem porque vem e que só diz inanidades. O menos penoso é o do PC, que repete a cassete. Os outros dois não existem nem existe alguém que se preocupe com a sua existência. E Manuel Alegre? Queixa-se do PS e devia queixar-se dele mesmo. A ideia de desafiar Cavaco para interromper a campanha eleitoral e salvar Portugal do FMI é de certeza a ideia mais estúpida de toda a campanha. Alegre não percebe. Nem o que se está a passar com Portugal nem o que compete ao Presidente. O único poder que o Presidente português tem nas mãos chama-se capacidade de dissolução do Parlamento, e a única razão porque a eleição é importante é esta: quem ganhar terá a possibilidade de fazer cair o Governo. Ou mantê-lo em funções.

As patetices da campanha de amadores são a consequência da falta de visão dos candidatos e são também a consequência da falta de exigência do jornalismo português. Nunca foi tão visível o empobrecimento intelectual do jornalismo e da política. O jornalismo tem de fazer as perguntas que ninguém faz e obter as respostas a que o público tem direito. Chegaram à profissão carregamentos de jovens sem preparação, mão de obra barata que exerce a profissão com a leviandade e a ignorância dos maus alunos. Existem colunistas e comentadores de cueiros, ligados a partidos e presumindo de independentes, existem estagiários a cobrir acontecimentos históricos, existem editores que não editam, existem prioridades invertidas. Existem trepadores sociais e velhos do Restelo. Quando Portugal é falado em todo o mundo por causa da incapacidade de resolver o problema do financiamento externo, analisando friamente o problema (o que em Portugal nunca se faz, apesar de tanto comentador) os jornais e televisões dedicam espaço e atenção ao "modelo" Renato Seabra e ao assassínio de Carlos Castro, subitamente promovido a "jornalista". Destacando repórteres e meios que nunca destacam para cobrir acontecimentos internacionais que nos dizem respeito, o jornalismo tabloide chafurdou neste caso e agarrou-se a ele como a uma tábua de salvação. Dá audiências, as audiências que este jornalismo criou e alimenta. A nossa pouca exigência é o resultado desta indigência. E a nossa complacência para com a má governação é o resultado desta falta de atenção e inversão das prioridades. O país tornou-se como a televisão que tem: um jornaleco de escândalos.

Portugal não quer saber. Venha o FMI, não venha o FMI, tudo lhe é indiferente. O conformismo português, herdado de Salazar mas anterior a ele, atávico, é um conformismo nascido da ignorância e da desqualificação. Do subdesenvolvimento. Neste cenário, fica-se com a impressão de que o único político que se mexe e não se resigna é José Sócrates. O único que trabalha. Com todos os seus defeitos, Sócrates tem-se batido, e tem desempenhado um difícil papel no meio de ministros cansados e governantes exaustos de nada fazer, com exceção de Teixeira dos Santos. O Governo não existe, ele sim. No meio dos patetas, aparece um político. Esperam que ele se demita? Esperarão.


avatar
Viriato

Pontos : 16657

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: o político e os patetas

Mensagem por Vitor mango em Dom Jan 16, 2011 10:57 am

porrah pah
Tinha paleio ja escrito e mexi no teclado e foi tudo por abaixo abaixo
e no Algarve tenho que dar esta novidade
Pah so vi uma profissional da pedalada na estrada no engate
Da outra vez eram de 500 em 500 metros na 125
Sera da Crise ?
kuanto aos politicos estou mais firme a nao meter o canivete na urna porque tudo isto me cheira a cinismo porco e sebento com politicos nas esquinas nao na caça ao kekar mas ao voto para depois e instalados assobiarem para o lado quando o FMI quer uma rapidinha e vem de braguilha aberta
kem é o cavaco que apareceu ontem com lagrimas de crocodilo a garantir que funcionarios publicos sao maltratados... o manel poeta ate lhe mostrou a moca
e kerem V. Exas que eu alinhe com esta gente?

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ
avatar
Vitor mango

Pontos : 108398

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: o político e os patetas

Mensagem por Kllüx em Dom Jan 16, 2011 11:18 am

Era para escrever k: O conformismo português, herdado de Salazar mas anterior a ele, atávico,
é um conformismo nascido da ignorância e da desqualificação. Do
subdesenvolvimento.
Mas a kronista, teve a amabilidade de escrever ela mesmo, no final do seu texto.

"Portugal não quer saber. Venha o FMI, não venha o FMI, tudo lhe é
indiferente. O conformismo português, herdado de Salazar mas anterior a
ele, atávico, é um conformismo nascido da ignorância e da
desqualificação. Do subdesenvolvimento. Neste cenário, fica-se com a
impressão de que o único político que se mexe e não se resigna é José
Sócrates. O único que trabalha. Com todos os seus defeitos, Sócrates
tem-se batido, e tem desempenhado um difícil papel no meio de ministros
cansados e governantes exaustos de nada fazer, com exceção de Teixeira
dos Santos. O Governo não existe, ele sim. No meio dos patetas, aparece
um político. Esperam que ele se demita? Esperarão."


avatar
Kllüx

Pontos : 11176

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: o político e os patetas

Mensagem por Vagueante em Seg Jan 17, 2011 11:15 am

Kllüx escreveu:Era para escrever k: O conformismo português, herdado de Salazar mas anterior a ele, atávico,
é um conformismo nascido da ignorância e da desqualificação. Do
subdesenvolvimento.
Mas a kronista, teve a amabilidade de escrever ela mesmo, no final do seu texto.

"Portugal não quer saber. Venha o FMI, não venha o FMI, tudo lhe é
indiferente. O conformismo português, herdado de Salazar mas anterior a
ele, atávico, é um conformismo nascido da ignorância e da
desqualificação. Do subdesenvolvimento. Neste cenário, fica-se com a
impressão de que o único político que se mexe e não se resigna é José
Sócrates. O único que trabalha. Com todos os seus defeitos, Sócrates
tem-se batido, e tem desempenhado um difícil papel no meio de ministros
cansados e governantes exaustos de nada fazer, com exceção de Teixeira
dos Santos. O Governo não existe, ele sim. No meio dos patetas, aparece
um político. Esperam que ele se demita? Esperarão."



Salazar costuma ser acusado de fautor de muitas coisas, mas esta do conformismo, temos de recuar alguns séculos para encontrar a sua origem.
Quanto aos políticos que nos têm governado, não há dúvida que aquele que mais tem trabalhado contra esta vil tristeza é JOSÉ SÓCRATES.

Vagueante

Pontos : 1698

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: o político e os patetas

Mensagem por Kllüx em Seg Jan 17, 2011 11:31 am

Amen!


avatar
Kllüx

Pontos : 11176

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: o político e os patetas

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum