turquia se destaca como uma ilha de estabilidade no Oriente Médio (hhaaretz )

Novo Tópico   Responder ao tópico

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

turquia se destaca como uma ilha de estabilidade no Oriente Médio (hhaaretz )

Mensagem por Vitor mango em Dom Fev 27, 2011 12:37 am

T
A Turquia ainda não está perdida. Pode ainda ser buttonholed e ofereceu amizade renovada.
Por Zvi Bar'el

ANCARA - No meio do deserto diplomática, quando centenas de libaneses estão sendo enterrado, a revolução egípcia não sabe para onde se virar, a Tunísia tem sido esquecido e as notícias fora do Iêmen é bem dentro do jornal, uma ilha de estabilidade está Saída: Turquia. É verdade que do ponto de vista de Israel, que é um cardume em um mar tempestuoso, mas quando um instituto de pesquisa turca, cujos diretores estão muito próximos ao primeiro-ministro, convoca uma conferência com os israelenses para analisar o futuro das relações entre os dois países, você tem que verificar se o solo rochoso ainda pode render grama.

Com efeito, por um minuto, parecia que o encontro foi um despertar para um relacionamento maravilhoso de amor que acabou, mas aos poucos ficou claro que a discussão e rift são aceitos como uma situação normal e não é particularmente perturbador. Enquanto Israel continua a viver com o conceito de que a Turquia precisa de Israel mais do que Israel precisa da Turquia, e quando se substitui-upmanship controle de políticas e danos, a Turquia já está em um lugar muito melhor.
Erdogan, Turquia - 2011/08/02 - AP

O primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan no Parlamento em Ancara, Turquia, 08 de fevereiro de 2011
Foto: AP

A Turquia tem substituído sua variedade de inimigos. Se na década de 1990 eles foram a Síria eo Irã, assim como uma má vontade do Iraque, a Turquia é hoje praticamente a cargo do flanco oriental do Mediterrâneo. É um elo chave no eixo Irã-Iraque-Síria, um país fundamental para a estratégia dos EUA. Ele tem acesso ilimitado aos estados árabes que, até há três anos viu a Turquia como suspeito por causa de seus laços com Israel.

"Israel e Turquia já não têm inimigos comuns, de modo que o interesse comum estratégica está desaparecendo", Prof Meliha Altunisik do Oriente Médio da Universidade Técnica de Ancara diz com franqueza impiedosa. Sem inimigos comuns, sem um mapa atualizado de interesses, a questão turcos estão se perguntando é o que faz da amizade com Israel, realmente, dar-los.

"A Turquia não deve nada Israel," diz o Dr. Sedat Laciner, o diretor de um instituto de estudos estratégicos que é muito próximo ao primeiro-ministro turco Recep Tayyip Erdogan. Segundo Kadri Gursel, analista para a Milliyet jornal que se opõe à política de Erdogan, "Israel é um país isolado na região, e quanto mais isolado estiver, o mais perigoso é. Pode arrastar toda a região em uma guerra que, por exemplo, atacar o Irã em paz. "

Menos contundente, mas não menos firme, é o diplomata Ozdem Sanberk, representante da Turquia sobre a comissão da ONU a examinar o episódio flotilha turca. Ele também está na comissão israelo-turco que tentou forjar um acordo sobre a indemnização e pedido de desculpas que exige Turquia, de Israel. Ele diz que "a comissão chegou a um acordo eo primeiro-ministro israelense aceitou a solução", mas o chanceler Avigdor Lieberman, rejeitou categoricamente a possibilidade de que Israel iria pedir desculpas. A verdadeira preocupação de Sanberk, um apoiante determinado de reconstruir as relações entre os dois países, é que a actual situação se torne arraigada como normal e ser impossível de mudar.

A questão premente que agora não é como o Secretário-Geral da frase, o relatório da comissão de inquérito sobre o episódio flotilha, ou se Israel vai sair melhor ou pior. Israel já tomou uma surra por todo o assunto de qualquer maneira. Após turcos caiu vítima do ataque, o bloqueio a Gaza foi suspensa, na sua maior parte. Internacionalmente, Israel se tornou um país transparente na melhor das hipóteses e outro imprevisível na pior das hipóteses, e pode ser que favorece a necessidade de Gaza em breve deixará de Israel se o conselho militar que governa o Egito decide abrir a passagem de Rafah.

A pergunta mais importante é que tipo de Mid

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ

Vitor mango

Pontos : 106507

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: turquia se destaca como uma ilha de estabilidade no Oriente Médio (hhaaretz )

Mensagem por Vitor mango em Dom Fev 27, 2011 12:39 am

Porque ?

Porque o estado é laico pah e nao tem a MER** da religião agarrada á rebentagem dos tempos


religião meus caros é uma opçao de cada um longe dos acordos de FDP entre os sacerdotes e os cabroes dos governantes ...cujo acordo da sempre merdas e sangue pah

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ

Vitor mango

Pontos : 106507

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: turquia se destaca como uma ilha de estabilidade no Oriente Médio (hhaaretz )

Mensagem por Vitor mango em Dom Fev 27, 2011 12:42 am

A Turquia tem substituído sua variedade de inimigos. Se na década de 1990 eles foram a Síria eo Irã, assim como uma má vontade do Iraque, a Turquia é hoje praticamente a cargo do flanco oriental do Mediterrâneo. É um elo chave no eixo Irã-Iraque-Síria, um país fundamental para a estratégia dos EUA. Ele tem acesso ilimitado aos estados árabes que, até há três anos viu a Turquia como suspeito por causa de seus laços com Israel.

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ

Vitor mango

Pontos : 106507

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: turquia se destaca como uma ilha de estabilidade no Oriente Médio (hhaaretz )

Mensagem por Vitor mango em Dom Fev 27, 2011 12:46 am

e em aditamento este post do haaretz

políticas de direita de Netanyahu de Israel impedem a integração regional na ordem nova
Netanyahu está aparentemente disposto a conversar com os palestinos, mas ele lhes oferece nada além do reconhecimento futuro - carregados de pressupostos - de um Estado palestino.
Haaretz Editorial

Benjamin Netanyahu, respondeu à turbulência política nos países árabes com entrincheiramento renovado em seus pontos de vista de direita. Em seu discurso na Knesset semana passada o primeiro-ministro advertiu que a instabilidade regional poderia durar anos, bateu-se na parte traseira para se opor a retirada de 2005, da Faixa de Gaza e falou a favor de uma presença contínua de Israel no vale do Jordão, como parte de um futuro acordo com os palestinos, para manter o Irã de "caminhar para" West Bank.

Netanyahu descreveu-se como estar decepcionado com a recusa do presidente da Autoridade Palestina Mahmoud Abbas para negociar. Netanyahu está aparentemente disposto a conversar com os palestinos, mas ele lhes oferece nada além do reconhecimento futuro - carregados de pressupostos - de um Estado palestino. Ele não está aberto a uma mudança no status quo territorial e insiste em ir adiante com a expansão dos assentamentos, o que compromete as chances de acordo.
Netanyahu - Salman Emil - 16 de fevereiro de 2011


Benjamin Netanyahu, falando com os líderes judeus americanos em Jerusalém, em 16 de fevereiro de 2011.
Foto: Salman Emil

Em tais circunstâncias, é compreensível que a comunidade internacional vistas falar de Netanyahu de paz como palavras vazias destinadas a ganhar tempo a fim de perpetuar a dominação da direita do governo e para fortalecer o empreendimento dos assentamentos. O veto dos EUA impediu a condenação severa dos assentamentos pelo Conselho de Segurança da ONU, mas o voto salientou crescente isolamento de Israel.


posição de Netanyahu faz com que mesmo os líderes amigável, como a chanceler alemã, Angela Merkel, para virar as costas para ele. "Você não fez nada para promover a paz", disse Merkel ao primeiro-ministro quando ele a chamou para reclamar o apoio da Alemanha para a resolução do Conselho de Segurança, de acordo com um relatório por Barak Ravid no Haaretz sexta-feira. Netanyahu prometeu Merkel, que publicará em breve uma nova proposta de paz, mas a chanceler alemã não estava inclinado a acreditar nele.

É justamente em momentos de instabilidade regional e da incerteza que Israel precisa do apoio da comunidade internacional. Mas o governo de Netanyahu prefere virar as costas para o mundo e para barricar-se dentro de Hebron e Beit El, Ofra e Yitzhar. Sua política está causando sérios danos aos interesses nacionais de Israel e só vai dificultar a integração de Israel na nova ordem regional que está tomando forma. Netanyahu deve atender às advertências de líderes amigável e propõe um plano de paz da prática - e não mais uma tentativa de usar a retórica de alto voou para tirar o mundo de suas costas


_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ

Vitor mango

Pontos : 106507

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: turquia se destaca como uma ilha de estabilidade no Oriente Médio (hhaaretz )

Mensagem por Vitor mango em Sex Nov 29, 2013 2:16 am

amen

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ

Vitor mango

Pontos : 106507

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: turquia se destaca como uma ilha de estabilidade no Oriente Médio (hhaaretz )

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 1:37 am


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você pode responder aos tópicos neste fórum