O chá

Ir em baixo

O chá

Mensagem por Joao Ruiz em Dom Fev 19, 2012 10:26 am

.
Chá, a milenar bebida que conquistou o mundo


“Cha” ou “tay”? A palavra mais habitual na China para chá é “cha”, nomeadamente em mandarim e cantonês, mas é “te” (pronunciado “tay”) no dialecto de Xiamen (Amoy), na província de Fujian, onde, a partir de 1602, se estabeleceram os “Hong Mao”, os mercadores holandeses da Verenigde Oost‑Indische Compagnie (Companhia Holandesa das Índias Orientais ou VOC), que adoptaram e disseminaram a designação local. Tay evoluiu para tea no território britânico embora em alguns locais, como em Liverpool, se designe a bebida nacional britânica por “tchá”. Na Europa, apenas gregos, russos e portugueses escaparam a esta etimologia mas em muitas outras áreas do mundo, como na Turquia, Ásia e países árabes, a bebida é designada por uma variante de “chai” ou “shai”.
Tal como Isaac Newton terá discernido a lei da gravidade quando sob a copa de uma árvore descansava e desta caiu uma maçã (que, como se conta, lhe terá acertado na cabeça), a lenda que descreve a origem do chá, ainda que muito mais remota, parece ter tido idêntica fonte de inspiração pois explica que no ano de 2737 a.C., o imperador Shen Nong, também debaixo de uma árvore, ter-se-á encantado pelo aroma e depois pelo sabor dessa bebida que resultou da queda ocasional de algumas folhas de Camellia sinensis (o arbusto do chá verde) na água que os seus servos ferviam enquanto forma de prevenção da disseminação de epidemias.

Se esta curiosa história tem algum fundamento… vale o que vale como todas as lendas! Não deixa, contudo, de imprimir uma aura fantasista e romântica ao nascimento do chá. Fundamento mais científico têm os relatos que remetem para a chinesa dinastia Tang a sistematização, em 780 d.C., da informação referente ao chá, mais precisamente através da publicação do primeiro livro que lhe é dedicado – Cha Jing (“Livro do Chá”) de Lu Yu.

Realça, aliás, Francis Ross Carpenter, no prefácio da tradução da obra, que Lu Yu, com os seus 20 tratados sobre o chá – incluindo um em que discute a importância da qualidade da água utilizada na elaboração desta bebida –, é o mentor da ritualização da preparação de chá.

A disseminação da bebida chinesa, usada para fins medicinais e também em mosteiros budistas enquanto auxiliar da meditação, para o seu vizinho nipónico não foi difícil. Neste aspecto, é ao monge Saicho (mais tarde Dengyo Daishi), fundador do budismo Tendai, que é atribuída a introdução do chá, no início do século IX, no Japão. Quanto aos diferentes modos de preparação das folhas de chá, assentes em distintos estágios de oxidação – fermentado(chá preto), semi-fermentado (oolong) e não fermentado (verde) – remontam à dinastia Ming (1368-1644 d.C.).

Por sua vez, a vasta fronteira da China com a Rússia facilitou, a partir de 1618, a disseminação do chá a terras de czares. De tal forma que este popularizou-se chegando aos diferentes estratos sociais russos e fazendo com que o samovar, utensílio muito apreciado e utilizado para o servir, adquiriu honras de duradouro símbolo da nação. Isto, sem que a Europa ficasse insensível à bebida – a comprová-lo estão o Delle Navigationi et Viaggi, escrito, em 1559, por Giani Battista Ramusio e os textos de frei Gaspar da Cruz, padre jesuíta português que veio a ser o primeiro ocidental a escrever sobre chá.

No âmbito histórico, Portugal teve, aliás, um importante papel na história desta bebida e não só por ter sido o primeiro país europeu a estabelecer rotas comerciais com a China, em 1515, mas porque, como é sabido, a ele se deve a chegada, pela mão de Catarina de Bragança, após matrimónio com Carlos II de Inglaterra, do chá à corte inglesa… isto apesar de muitos historiadores ingleses defenderem que este terá sido introduzido em Inglaterra, em 1579, por Christopher Borough.

Certo é que o comércio do chá veio a ser dominado por ingleses e holandeses. A partir do século XVIII o chá assumiu-se a bebida de eleição de todas as classes britânicas estendendo-se a sua popularidade a todos os países onde a influência inglesa se fazia sentir. Seguiram-se os Estados Unidos da América, Austrália e Canadá… até que, com o tempo, a célebre infusão de folhas ganhou estatuto e carácter de bebida universal

Nuno Duarte


_________________
Amigos?Longe! Inimigos? O mais perto possível!
avatar
Joao Ruiz

Pontos : 32035

Voltar ao Topo Ir em baixo

Conselhos para preparar um bom Chá

Mensagem por Joao Ruiz em Dom Fev 19, 2012 10:44 am

.
Conselhos para preparar um bom Chá


    – Use água fresca e de preferência pouco calcária.
    – A água para preparar o chá deve ser sempre acabada de ferver.
    – Assim que a água levante fervura, o lume deve ser imediatamente apagado.
    A ebulição elimina oxigénio da água por isso quanto mais tempo esta ferve
    menor a qualidade do chá.
    – Escalde o bule com água a ferver.
    – Após verter a água para o bule, deixe o chá repousar durante cinco minutos.
    – As quantidades habituais de folhas são uma colher de chá por pessoa.
    – Agite ligeiramente o chá antes de o deitar para as chávenas.
    – Para não alterar o sabor do chá, aposte sempre em recipientes de porcelana ou
    de vidro.



_________________
Amigos?Longe! Inimigos? O mais perto possível!
avatar
Joao Ruiz

Pontos : 32035

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum