Os Devoradores de Couves

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Os Devoradores de Couves

Mensagem por Vitor mango em Sab Nov 03, 2012 2:31 am

Os Devoradores de Couves

O leitor sabe que os portugueses ocupam o primeiro
lugar no consumo de couves em toda a comunidade
europeia e , pasme-se ,  o segundo lugar Mundial logo
a seguir á Coreia do Sul ?
Vasculhando no passado vemos que as couves só aparecem
,  como alimento humano 600 anos antes de JC e para os
nossos lados , terão sido os Celtas a tentar utilizar
as ditas O nome inicial de “Brassica oleracea “ usado
pelos gregos ,  tem provavelmente a  origem fenícia .
Entrando , no domínio das probalidade poderemos dizer
que o homem da península na mingua de alimentos deve
ter postos restos de carne e ossos numa recipiente de
barro com água quente ou a ferver e , alguém mais
curioso adicionado-lhe  umas folhas de couve selvagens
.
O certo é , que a partir da sua origem a quantidade de
variedades de couves "domesticada " é tal que confesso
me vejo aflito para as catalogar
Se as quisermos associar a sopas ,  de novo vemos que
na Grécia a sopa corrente era o “caldo negro “ , um
petisco feito com sangue de animais e  vinagre , que
confesso não me entusiasmaria  meter a colher !
Na Roma antiga , o imperador Nero ,  comia um caldo
feito á base de alhos porros para lhe afinar a voz
Quando entramos na idade media as sopas incluíam
favas, abóbora ervilhas , rábanos e toucinho , e
certamente couves com canela e gengibre . Vagueando
novamente no capitulo das hipóteses acho que as sopas
seriam certamente a base alimentar das classes mais
desprotegidas já que a nobreza e especialmente o clero
deviam comer que nem abades e  tudo menos “ervas “
Vamos deixar de lado os franceses e italianos que
utilizavam já ervas aromáticas a partir do século XVI
para entrarmos novamente em Portugal  com duas sopas
famosas .
A canja que me sopram que  veio da índia e o celebre
caldo verde ,  muito utilizado no norte de Portugal e
Galiza com outras variantes já que em Espanha o
gazpacho utilizava pepino ,alho , pão e azeite e era e
é até hoje servido frio .
Interessante foi o modo como os alemães conseguiram
fazer o aproveitamento das couves com o Chucrute .As
couves são cortadas em finas laminas e cobertas com
sal ;   o sal “ puxa a água das couves e as bactérias
presentes nas folhas produzem um acido que torna  a
água de tal modo ácida que nenhum mal entra nessa
mistura  que se  conserva assim durante muitos meses
.Para  as comer lavam-se bem ,  para eliminar esse
ácido .
Mas novamente são os portugueses que utilizam as
couves não com as sopas ,  mas nos pratos mais
importantes da sua tradição culinária  .
Na consoada , enquanto os franceses comem ostras ,
salmão fígados e enchidos e os espanhóis sopa de
amêndoa , dourada no forno ,  os portugueses esperam
pela meia noite para meter o garfo nas couves e no
bacalhau
O consumo de couves em pleno  inverno indicam porque
são tão importantes para a nossa alimentação , dado
que elas  resistem aos rigores do frio .
Quando o mundo começa a consumir mais proteínas e a
dilatar o estômago com comida de “ plástico “ os
cientistas americanos alertam para as virtudes das
couves na prevenção do cancro e  isto é posto a
circular pela comunidade cientifica nos anos 90 .
Se as couves mais consumidas em Portugal são as de
folha e de repolho  já a couve mais fina é a de
Bruxelas – pequenos repolhos do tamanho de um ovo
médio que nascem nos talo  das couves . Ainda me
lembro , há cerca de umas dezenas de anos um partido
político  indicar esta cultura para tirar a
agricultura portuguesa da estagnação . Só que as
couves têem também os seus locais próprios onde
crescem bem e apesar de todas as virtudes dos
repolhinhos de Bruxelas a sua cultura não é fácil
Os brócolos e couves flor fazem , já hoje , parte de
uma boa ementa culinária servida de variadas formas .
Faltam ainda os grelos que no Porto se chamam  espigos
e que este ano estiveram  a um preço proibitivo para
quem gosta de os acompanhar com um bom prato de peixe
ou mesmo de carne .
E regressemos novamente ao celebre cozido á portuguesa
onde ,  se faltar um bom repolho a acompanhar as
muitas e variadas carnes e enchidos,  arruina um dos
pratos mais tipicamente portugueses do qual  apenas se
aproxima uma boa feijoada á transmontana .
Este cozido á Portuguesa atinge o expoente máximo nos
Açores aonde todos os ingredientes são metidos numa
panela  que é enterrada nas furnas e ao fim de algumas
horas ,. desenterrado para se saborear este manjar
genuinamente português
E caro leitor , se á sua porta lhe bater um “ pedinte
“ com uma panela e contendo uma pedra e umas couves e
lhe  cravar uns enchidos e uns restos de porco fica a
saber que o “artista “ anda a preparar um pitéu
chamado “ sopa de pedra “  que fez o nome em Almeirim.
Ou então se alguém lhe der feijões e massa pode ser
que ele faça uma sopa camponesa ou do lavrador que não
lhe fica atrás .



Última edição por Vitor mango em Ter Set 24, 2013 4:34 am, editado 1 vez(es)

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ
avatar
Vitor mango

Pontos : 108847

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Devoradores de Couves

Mensagem por Vitor mango em Sex Set 13, 2013 2:01 pm

AMEN

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ
avatar
Vitor mango

Pontos : 108847

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum