Tentativa de negociações de paz no Médio Oriente marca noticiário da semana

Ir em baixo

Tentativa de negociações de paz no Médio Oriente marca noticiário da semana

Mensagem por Vitor mango em Dom Dez 30, 2012 9:47 am




  • Economia
  • Educação
  • Internacional
  • Lazer e Cultura
  • Política
  • Províncias
  • Reconstrução Nacional
  • Saúde
  • Sociedade
  • Transporte
  • Turismo



Informações




  • MCS
  • Sobre a Angop
  • Angola
  • Investimentos em Angola
  • Artigos
  • Especiais
  • Discursos dos Presidentes
  • Galeria de Fotos
  • Efemérides
  • Utilidade Pública



Serviços




  • Busca
  • Anuncie na Angop
  • Fale Connosco
  • RSS






30-12-2012 12:08


Resenha Internacional
Tentativa de negociações de paz no Médio Oriente marca noticiário da semana




Luanda - O
encontro do enviado das Nações Unidas para a Síria, Lakhdar Brahimi, com
o presidente sírio Bashar al-Assad, durante o qual instou os
protagonistas do conflito a um acordo para acabar com a guerra civil na
Síria, constituiu, entre outros, destaque do noticiário internacional
durante a semana finda.


O encontro, que
aconteceu em Damasco, ocorreu no dia seguinte à morte de 60 pessoas numa
padaria de uma cidade rebelde do centro do país, segundo o Observatório
Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). Insurgentes e autoridades acusam-se
mutuamente pelo ataque .


Após
21 meses de violência, que deixou mais de 44.000 mortos, Lakhdar
Brahimi, também enviado especial da Liga Árabe manifestou a sua
preocupação ao chefe de Estado, afirmando esperar que "todas as partes
se pronunciem a favor de uma solução para todo o povo sírio".

Por
sua vez, a principal plataforma da oposição síria manifestou-se
disposta a aceitar uma transição política, mas sem a participação do
presidente Bashar al-Assad e o seu executivo.


"Aceitaremos
qualquer solução política que não incluía a família Assad e os que
prejudicaram o povo sírio. Tirando isso, todas as opções estão sobre a
mesa", declarou Walid al Buni, porta-voz da Coligação Nacional Síria
(CNS).

Por outro lado, o
presidente palestiniano, Mahmud Abbas, prometeu quinta-feira que se
Israel não reactivar as negociações de paz, após as eleições de Janeiro,
ele proporá o fim da Autoridade Palestiniana e entregará as chaves da
Cisjordânia ao Estado hebreu.


"Se não
houver progressos (nas negociações), mesmo após as eleições, telefonarei
ao primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, para lhe dizer:
fique no meu lugar e seja responsável pela Autoridade Palestiniana,
pegue as chaves", declarou Abbas em
entrevista ao jornal Haaretz.

As negociações de paz entre israelitas e palestinianos estão suspensas desde Setembro de 2010.


Outro
assunto destacado foi a morte do ex-comandante da Guerra do Golfo,
general Norman Schwarzkopf, que comandou a coligação internacional
durante a primeira Guerra do Golfo, em 1991.


O General americano morreu em Tampa (Flórida), aos 78 anos.

A
semana ficou ainda assinalada pelo quinto aniversário da morte da
ex-primeira-ministra paquistanesa Benazir Bhutto e pelo lançamento da
carreira política do seu filho Bilawal, durante um acto que reuniu uma
multidão no sul do Paquistão.

Mais
de 200.000 pessoas reuniram-se no povoado de Garhi Khuda Bakhsh, onde
se encontra o mausoléu da família Bhutto, para lembrar o falecimento de
Benazir e ouvir o filho desta última e do actual presidente paquistanês,
Asif Ali Zardari, pronunciar o
seu primeiro discurso importante.


Ainda
durante a semana, a justiça argentina confirmou a absolvição do
ex-presidente Fernando de la Rúa, num caso que envolveu a morte de cinco
pessoas por repressão policial em Buenos Aires, em 20 de Dezembro de
2001, o dia da sua renúncia.

Ainda
na Argentina, um tribunal condenou a quatro anos de prisão a
ex-ministra da Economia, Felisa Miceli, por ocultação, após ter sido
encontrada em 2007, no banheiro do seu gabinete, uma bolsa com milhares
de dólares.


Também
durante os últimos sete dias, o presidente iraniano Mahmud Ahmadinejad
destituiu do cargo Marzieh Vahid Dastjerdi, ministra da Saúde e única
mulher do seu governo, anunciou a televisão do Estado.


A
ministra tinha proposto o aumento do preço de uma série de
medicamentos, devido à subida do dólar frente ao rial iraniano e às
sanções económicas ocidentais.

As
inundações provocadas por chuvas torrenciais de monções na Malásia e
que forçaram quase 14.000 pessoas a deixarem as suas casas e buscarem
abrigo em centros de socorro, segundo informou a agência de notícias
oficial Bernama, foi um outro assunto destacado no noticiário
internacional.


As chuvas
que coincidiram com a maré alta inundaram centenas de casas em três
Estados do nordeste do país - Terengganu, Pahang e Kelantan - fazendo
com que 13.746 pessoas se abrigassem em centros de evacuação.


Ainda na mesma semana, um acidente aéreo dizimou o comando dos guardas fronteiriços do Cazaquistão.

O
avião militar Antonov An-82, caiu a 20 quilómetros do aeroporto de
Shymkent, no Cazaquistão, provocando a morte dos 27 ocupantes da
aeronave, na sua maioria oficiais de alta patente do comando dos guardas
fronteiriços do país.

E
finalmente, a linha de alta velocidade de maior extensão do mundo, que
liga Pequim à Cantão, foi inaugurada na quarta-feira com a viagem do
primeiro comboio, numa nova etapa no desenvolvimento da rede ferroviária
chinesa, sector afectado por escândalos e acidentes.


Para a inauguração, a China escolheu o dia do nascimento do líder comunista, Mao Tsé-Tung, 26 de Dezembro de 1893.

O
comboio percorreu os 2.298 quilómetros que separam Pequim e Cantão, o
grande polo económico do sul, em oito horas, tempo três vezes menor que o
actual. A composição circulou a uma velocidade média de 300
quilómetros/hora e fazendo cincoparadas nas cidades mais importantes
como Zhengzhou, Wuhan, Changsha, entre outras.

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ
avatar
Vitor mango

Pontos : 109737

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum