Política anti-imigração afeta matrículas e preocupa universidades britânicas

Novo Tópico   Responder ao tópico

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Política anti-imigração afeta matrículas e preocupa universidades britânicas

Mensagem por Vitor mango em Qui Jan 10, 2013 1:04 am

Política anti-imigração afeta matrículas e preocupa universidades britânicas



Brasil é um dos país considerados de
"alto risco" pelo governo de David Cameron; tendência é de queda na
procura por intercâmbio no Reino Unido























A cruzada anti-imigração do premiê britânico David Cameron, do Partido
Conservador, que prometeu em campanha reduzir para 100 mil o número de
ingressos anuais no país até 2015, já gera reflexos negativos na
competitividade do ensino superior do Reino Unido, que teme perder
alunos estrangeiros para Canadá, Austrália e Estados Unidos.

Em seu último pronunciamento, a ministra do Interior, Theresa May,
anunciou um endurecimento nas regras para emissão de visto de estudante
em países considerados de “alto risco” pelo governo britânico - entre
eles está o Brasil. Cerca de 100 mil estudantes, ou metade do número
total de pedidos de visto, serão sabatinados nos consulados britânicos
de seus países antes de obter permissão de entrada no Reino Unido.

Agência Efe

Em campanha, o conservador Cameron prometeu reduzir para 100 mil o número de estrangeiros que entram no país para estudar

A iniciativa acendeu o sinal amarelo na Universities UK, entidade que
congrega os serviços de ensino superior no Reino Unido. O setor é
notadamente deficitário e depende das matrículas de estudantes
estrangeiros, que geram caixa para manter as taxas em níveis mais baixos
para alunos britânicos e europeus.

Para cursar um mestrado de um ano, por exemplo, o estudante não-europeu
paga pelo menos três vezes mais do que um britânico ou europeu - algo
em torno de R$ 32 mil ante R$ 10 mil. A diferença nos valores equilibra a
balança e movimenta um mercado de 8 bilhões de libras esterlinas (cerca
de R$ 26 bilhões).

No entanto, o endurecimento das regras para obtenção de visto “está
afugentando os estudantes estrangeiros”, segundo o chefe da Universities
UK, Nicola Dandrige, um crítico feroz das políticas anti-imigração do
governo conservador britânico. As estatísticas mostram que a tendência é
de forte queda no número de matrículas para os próximos anos.







Leia mais





“Os verdadeiros estudantes internacionais deveriam ser bem-vindos, e
não dissuadidos de virem ao Reino Unido. Isso é bom para as
universidades, bom para os negócios”, afirmou Dandridge, em resposta à
aplicação da sabatina. “Mais uma vez, é temerário que o Reino Unido
esteja projetando uma mensagem inconsistente no exterior”, escreveu.

Ele continuou: “O que as universidades precisam é de apoio do governo
para um crescimento sustentado no número de estudantes legítimos. Há um
potencial real para que estudantes internacionais contribuam para o
crescimento econômico no Reino Unido. Essa é uma história de sucesso no
Reino Unido e os benefícios dos estudantes legítimos vão muito além dos
campi universitários.”

Porém, dados divulgados pelo Escritório Nacional de Estatísticas
britânico mostram que houve uma queda de 26% no número de vistos
concedidos para estudantes em 2012, especialmente para alunos de
mercados considerados interessantes pelo Reino Unido, como China, Índia,
Arábia Saudita e Paquistão.

Até março de 2011, eram 175 mil estudantes não-europeus imigrando para o
Reino Unido. Um ano depois, em março de 2012, o número havia caído para
163 mil. “Os números são particularmente duros dado o rápido
crescimento do mercado internacional de ensino”, comentou Dandridge. O
Reino Unido, por enquanto, só fica atrás dos Estados Unidos como
principal destino dos estudantes internacionais.

'Rotas de abuso'

O cabo de guerra entre as universidades britânicas e o governo
conservador teve seu ápice em agosto do ano passado, quando o
Departamento de Imigração do Reino Unido decidiu revogar, durante o ano
letivo, a licença da London Metropolitan University para receber alunos
estrangeiros.

A decisão criou um limbo para centenas de pessoas, entre eles vários
brasileiros, que já estavam matriculados na universidade, com o curso
pago, mas não sabiam se conseguiriam obter o visto. Outros, que já
estavam na metade de seus cursos na London Metropolitan, ficaram sem
saber se seriam diplomados.

A repercussão do caso foi bastante negativa e gerou revolta na
Universities UK. Até que a situação legal dos estudantes fosse
resolvida, os danos foram considerados irreversíveis para a
credibilidade do sistema de ensino superior britânico.

O governo Cameron afirma que o endurecimento nas regras pretende
reduzir as “rotas de abuso” do sistema de vistos para estudante. Até
março de 2012, a imigração para o Reino Unido havia caído para 183 mil
pessoas em 2012, de um total de 242 mil dos 12 meses anteriores. Segundo
o Institute for Public Policy, mesmo com as novas medidas o premiê não
vai cumprir a promessa e derrubar os números para 100 mil até 2015.

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ

Vitor mango

Pontos : 106523

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você pode responder aos tópicos neste fórum