A Superioridade de Israel

Novo Tópico   Responder ao tópico

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A Superioridade de Israel

Mensagem por Vagueante em Sex Jul 25, 2014 4:20 pm

<
>

A tempo e a desmodo
Henrique Raposohenrique.raposo79@gmail.com
A superioridade de Israel

A Valsa de Bashir” é um símbolo. Representa a liberdade da sociedade israelita para criticar Israel. O filme lida com as atrocidades cometidas pelo exército israelita na guerra do Líbano em 1982. É uma obra negra sobre um lado negro de Israel, mas foi feito por um israelita. E Ari Folman, o realizador, não está sozinho. Como qualquer sociedade livre, Israel está cheio de jornalistas e autores que criticam o seu próprio país. Onde estão os Folman da Palestina e, já agora, do mundo árabe? Em Israel, jovens radicais que lutam pelo “Grande Israel” são presos quando assassinam adolescentes palestinianos. Na Palestina e nas nações árabes, aqueles que assassinam judeus são vistos como heróis; terroristas comprovados (não, não são “alegados”) são recebidos como se fossem a encarnação de Maomé.
Ao invés da Palestina e do mundo árabe, Israel consegue atuar contra sua própria gente, contra os seus extremos. Aliás, Gaza é um problema porque Sharon retirou os colonos daquele território
Os jovens radicais israelitas (grupos como A Família, Lehava, Jovens da Colina) são herdeiros directos ou indirectos do movimento racista anti-árabe “Kach”, fundado pelo rabino ultra-ortodoxo Meir Kahane em 1971. Em 1994, este movimento foi ilegalizado pela justiça israelita, depois de um dos seus membros ter assassinado 30 muçulmanos. Na Palestina e no mundo árabe, a política é dominada por movimentos anti-semitas que não encontram qualquer restrição à sua acção. Os imãs pregam o ódio ao judeu. Idem para os políticos. Idem para os jornais. Moral da história? Ao invés da Palestina e do mundo árabe, Israel consegue atuar contra sua própria gente, contra os seus extremos. Aliás, Gaza é um problema porque Sharon retirou os colonos daquele território. As cenas não foram bonitas: soldados israelitas a aplicar força sobre colonos israelitas. Apontem-me um caso semelhante no mundo palestiniano.
Dentro da mesma linha, convém recordar o episódio clássico de Yitzhak Rabin. Em 1948, Rabin afundou um navio (o “Altalena”) cheio de radicais israelitas que estavam a desafiar ordens. Repito: enquanto comandante da defesa costeira, Rabin ordenou um ataque de artilharia sobre um navio cheio de israelitas e de armas clandestinas. Rabin atirou sobre os seus, matando dezasseis israelitas. Reza a lenda que, mais tarde, já como político, disse qualquer coisa como isto a Arafat: “eu já afundei o meu barco, agora é a tua vez”. Continuamos à espera.



Vagueante

Pontos : 1698

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Superioridade de Israel

Mensagem por Joao Ruiz em Sex Jul 25, 2014 5:10 pm

.
Os jovens radicais israelitas (grupos como A Família, Lehava, Jovens da Colina) são herdeiros directos ou indirectos do movimento racista anti-árabe “Kach”, fundado pelo rabino ultra-ortodoxo Meir Kahane em 1971. Em 1994, este movimento foi ilegalizado pela justiça israelita, depois de um dos seus membros ter assassinado 30 muçulmanos. Na Palestina e no mundo árabe, a política é dominada por movimentos anti-semitas que não encontram qualquer restrição à sua acção. Os imãs pregam o ódio ao judeu. Idem para os políticos. Idem para os jornais. Moral da história? Ao invés da Palestina e do mundo árabe, Israel consegue atuar contra sua própria gente, contra os seus extremos. Aliás, Gaza é um problema porque Sharon retirou os colonos daquele território. As cenas não foram bonitas: soldados israelitas a aplicar força sobre colonos israelitas. Apontem-me um caso semelhante no mundo palestiniano. Dentro da mesma linha, convém recordar o episódio clássico de Yitzhak Rabin. Em 1948, Rabin afundou um navio (o “Altalena”) cheio de radicais israelitas que estavam a desafiar ordens. Repito: enquanto comandante da defesa costeira, Rabin ordenou um ataque de artilharia sobre um navio cheio de israelitas e de armas clandestinas. Rabin atirou sobre os seus, matando dezasseis israelitas. Reza a lenda que, mais tarde, já como político, disse qualquer coisa como isto a Arafat: “eu já afundei o meu barco, agora é a tua vez”. Continuamos à espera. escreveu:

E convém, trazer á luz do dia, um exemplo de verdadeira democracia, num mundo hipócrita, sempre a apregoar a liberdade, que não pratica?

 queen 

_________________
Amigos?Longe! Inimigos? O mais perto possível!

Joao Ruiz

Pontos : 32035

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Superioridade de Israel

Mensagem por Vitor mango em Sab Jul 26, 2014 1:59 am

mano Vagueante leio sempre cuidadosamente o que escreve porque tenta ( eu tambem tento ,,,tento... ver através da fumaça dos bombardeamentos

A sociedade Israelita tem 20 % de árabes e ma sua sociedade tem a plena consciência que o unico futuro de Israel é a paz e um acordo serio com o vizinho dando-lhe todas as condições para...

Só que este governo é de ultra direitas ...e como Rabin Robin foi morto por esta gente quando estava ja avançada a pax 

sao cerca de 13000 ultras vindos das estepes Russas ( Ucranianas ) que tal como os Brancos na Africa do SUl semeiam o terror (cito Clinton

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ

Vitor mango

Pontos : 106463

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Superioridade de Israel

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 9:36 pm


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você pode responder aos tópicos neste fórum