100 OBSESSÃO...Magazine

Página 22 de 25 Anterior  1 ... 12 ... 21, 22, 23, 24, 25  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Ter Jan 27, 2009 6:37 pm

Relembrando a primeira mensagem :




Cancro: Afinal a fonte da juventude estava dentro de nós, revela cientista luso-americano





Nova Iorque, 03 fev (Lusa) – Uma equipa de cientistas liderada pelo luso-americano Ronald dePinho conseguiu pela primeira vez inverter o processo de envelhecimento através da manipulação genética, abrindo o caminho para uma espécie de “fonte da juventude” nas células humanas.

Em entrevista à Lusa, o luso-americano, professor na escola de medicina de Harvard e no Dana Farber Cancer Institute, explicou que a sua equipa de investigadores conseguiu artificialmente “ligar e desligar” o gene responsável pela reparação do ADN de ratos de laboratório.

As cobaias foram primeiro sujeitas a envelhecimento prematuro, que causou a perda de capacidades cognitivas e sinais exteriores, e quando o gene “voltasse a ser ligado” esperava-se um “abrandamento do processo de envelhecimento ou estabilização”.

“Em vez disso, vimos uma inversão dramática dos sinais e sintomas do envelhecimento: o cérebro aumentou de dimensão, a memória melhorou, deixou da haver pelos grisalhos e regressou a fertilidade”, disse à Lusa.

“Isto ensina-nos que há uma tremenda capacidade de os nossos tecidos se rejuvenescerem por si próprios”, adianta dePinho.

Publicado na revista Nature no final de 2010, o estudo tem vindo a receber grande atenção mediática.

Mostra como a manipulação, através de enzimas, das extremidades dos cromossomas responsáveis pela regeneração das células, os telómeros, pode inverter o envelhecimento e doenças relacionadas com a idade, como cancro, diabetes ou Alzheimer.

Apesar da importância da descoberta, o trabalho a fazer é ainda “tremendo”, afirma, e será precisa “uma década ou mais” até que se chegue a “uma estratégia segura e eficaz” para reparar o ADN.

“Se conseguíssemos descobrir uma droga que pudesse especificamente reativar este gene e reparar os telómeros, as pessoas teriam menos problemas relacionados com a idade, diabetes ou doenças de coração”, afirma.

Entre as dificuldades que os investigadores enfrentam está perceber em que momento ligar este gene e por quanto tempo, porque também células cancerosas podem ser estimuladas, se em presença no organismo.

“Para se poder começar a multiplicar e nunca envelhecer, uma das coisas que a célula cancerosa faz é ligar este gene. Se temos um cancro que já começou e ligarmos o gene, podemos torná-lo mais agressivo”, afirma dePinho.

Além de procurar entender o “calendário próprio” para reativar o gene, a sua equipa vai agora debruçar-se em como é que os tecidos retêm a capacidade de rejuvenescimento, ou seja “os processos biológicos e moleculares que permitem criar esta resposta tremenda”.

“Há uma tremenda quantidade de trabalho para tirarmos partido disto e em última análise melhorar a saúde humana”, afirma.

Co-fundador de empresas de investigação médica – uma delas (Aveo Pharmaceuticals) cotada no Nasdaq – dePinho defende que o conhecimento “ainda é muito básico para poder ser conduzido esforço comercial”.

Mas, afirma dePinho, o que esta e outras investigações já deixaram claro é que as pessoas podem começar a “atrasar o relógio já hoje”.

“É essencialmente fazer exercício, comer devidamente e não fumar. Um estilo de vida saudável tem impacto imediato na longevidade”, disse à Lusa.





Última edição por Kllüx em Sex Jan 18, 2013 6:59 am, editado 20 vez(es)
avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo


Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Seg Dez 27, 2010 3:17 pm

Antropologia: Estudo revela que os neandertais afinal cozinhavam e comiam legumes




O homem de Neandertal, extinto há 30 mil anos, alimentava-se de carne e de vegetais e cozinhava os alimentos, segundo um estudo publicado hoje nos Anais da Academia Americana de Ciências, citado pela AFP.

As investigações anteriores indicavam que os Neandertais eram sobretudo caçadores carnívoros, o que teria precipitado a sua extinção.

Pensava-se que os primeiros homens modernos com os quais aqueles coexistiram durante cerca de 10 mil anos teriam sobrevivido graças ao consumo de outros tipos de alimentos, como vegetais, peixes e mariscos, conforme os locais onde viviam.

O novo estudo, publicado nos Anais da Academia Americana de Ciências (Proceedings of the National Academy of Sciences - PNAS), parte da análise de partículas de alimentos contidas nas placas de tártaro dos dentes fossilizados de Neandertais descobertos em sítios arqueológicos do Iraque e da Bélgica, e trazem uma nova luz sobre estes primos desaparecidos.

Os investigadores, orientados por Dolores Piperno, do departamento de Antropologia do museu de história natural americano Smithsonian, descobriram grãos de amido provenientes de várias plantas, entre as quais uma erva selvagem, e vestígios de diferentes legumes, raízes e tubérculos.

Muitos desses alimentos tinham sofrido modificações físicas correspondentes à cozedura, nomeadamente os grãos de amido, o que faz pensar que o homem de Neandertal dominava o fogo, tal como os primeiros homens modernos.

Os dentes continham também vestígios de partículas de tâmaras e de amido de outros vegetais que os investigadores continuam a tentar identificar.

Nenhum artefacto de pedra indica, no entanto, que os Neandertais utilizavam utensílios para moer os grãos, pelo que é provável que não praticassem agricultura.
avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Seg Jan 31, 2011 3:19 pm



Primeiras cirurgias oftalmológicas do mundo com recurso ao 3D

Um paciente durante é sujeito a uma cirurgia oftalmológica, onde pela primeira vez no mundo é utilizada a tecnologia 3D de alta definição, 31 de janeiro de 2011 no Centro Cirúrgico de Coimbra




avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Ter Fev 08, 2011 6:24 pm



Asteróide Apophis: Quase certo que não vai colidir com a Terra - cientistas


Cientistas russos estão a alertar que uma pedra do tamanho de dois campos de futebol está prestes a atingir nosso planeta em 2036. Mas a NASA diz que as possibilidades são de apenas um em um quarto de milhão.





A few Russian scientists are warning that the Apophis asteroid will pass through a tiny 'gravitational keyhole' in 2029, putting it on a collision course with Earth. NASA says that the odds of this happening are vanishingly small.

NASA/Newscom/File

*****

The more likely scenario is this: Apophis will make a fairly close approach to Earth in late 2012 and early 2013, and will be extensively observed with ground-based optical telescopes and radar systems. If it seems to be heading on a destructive path, NASA will devise the scheme and machinery necessary to change the asteroid’s orbit, decreasing the probability of a collision in 2036 to zero, Yeomans said.

There are several ways to change an asteroid’s orbit, the simplest of which is to run a spacecraft into the hurtling rock. This technology was used on July 4, 2005, when Deep Impact smashed into the comet Tempel 1.

***

Planeta Amérika...POIS!
Very Happy
avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Qui Fev 10, 2011 5:43 pm



Antropologia: Hominídeo australopithecus afarensis já andava como o homem moderno - investigação




Um osso de um pé de uma espécie de hominídeo de há 3,2 milhões de anos, à qual pertencia a famosa Lucy, uma antepassada do Homo sapiens, revela que a espécie andava bem sobre as pernas.

Segundo a agência AFP, que cita um trabalho de investigadores norte-americanos, a forma de um osso do pé fossilizado encontrado na Etiópia demonstra que os australopithecus afarensis tinham os pés arqueados como o homem moderno.

O osso descoberto, em Hadar, é um metatarso, parte do pé situada entre o tarso e o dedo.

Para um dos autores da investigação, o paleontólogo William Kimbel, "o desenvolvimento de um pé arqueado assinala uma mudança fundamental na evolução da condição humana", já que representa "o desaparecimento da capacidade de uso do dedo grande do pé" por parte dos australopithecus afarensis para "se pendurarem nos ramos".

"O que indica que tinham finalmente abandonado a vida nas árvores para viver no solo", sustentou.

Com um pé arqueado, os australopithecus afarensis podiam, sem problemas, explorar o campo e deixar a floresta em busca de alimento.

Os resultados da descoberta serão publicados na sexta-feira, na revista Science.

avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Viriato em Sex Fev 11, 2011 3:10 am

Não era preciso recuar 3,2 de milhões de anos para procurar um metatarso de um macacóide que andava a pé. Cavaco Também anda e é o que a gente sabe...
avatar
Viriato

Pontos : 16657

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Sab Fev 19, 2011 8:04 pm



Cosmic census finds crowd of planets in our galaxy





Scientists have estimated the first cosmic census of planets in our galaxy and the numbers are astronomical: at least 50 billion planets in the Milky Way.
At least 500 million of those planets are in the not-too-hot, not-too-cold zone where life could exist. The numbers were extrapolated from the early results of NASA's planet-hunting Kepler telescope.
Kepler science chief William Borucki says scientists took the number of planets they found in the first year of searching a small part of the night sky and then made an estimate on how likely stars are to have planets. Kepler spots planets as they pass between Earth and the star it orbits.
So far Kepler has found 1,235 candidate planets, with 54 in the Goldilocks zone, where life could possibly exist. Kepler's main mission is not to examine individual worlds, but give astronomers a sense of how many planets, especially potentially habitable ones, there are likely to be in our galaxy. They would use the one-four-hundredth of the night sky that Kepler is looking at and extrapolate from there.
Borucki and colleagues figured one of two stars has planets and one of 200 stars has planets in the habitable zone, announcing these ratios Saturday at the American Association for the Advancement of Science annual conference in Washington. And that's a minimum because these stars can have more than one planet and Kepler has yet to get a long enough glimpse to see planets that are further out from the star, like Earth, Borucki said.
For example, if Kepler were 1,000 light years from Earth and looking at our sun and noticed Venus passing by, there's only a one-in-eight chance that Earth would also be seen, astronomers said.
To get the estimate for the total number of planets, scientists then took the frequency observed already and applied it to the number of stars in the Milky Way.
For many years scientists figured there were 100 billion stars in the Milky Way, but last year a Yale scientist figured the number was closer to 300 billion stars.
Either way it shows that Carl Sagan was right when he talked of billions and billions of worlds, said retired NASA astronomer Steve Maran, who praised the research but wasn't part of it.
And that's just our galaxy. Scientists figure there are 100 billion galaxies.
Borucki said the new calculations lead to worlds of questions about life elsewhere in the cosmos. "The next question is why haven't they visited us?"
And the answer? "I don't know," Borucki said.

avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Vitor mango em Dom Fev 20, 2011 12:49 am

nao perco nenhum programa de astronomia e outro dia estive para comprar um "Oculo " para mirar o mundo
e ha uma coisa que me assusta pela grandeza
A luz viaja a 300.000 KM por segundo ( SEO )
e diz a malta que para ir ao Plutão a viagem demorava 24 anos
???????

Porra pah o meu Citroen ku pe no pedal leva 4 horas a chegar a Algarve e nao me estou a ver a caminho de Marte
poizzz

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ
avatar
Vitor mango

Pontos : 108406

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Viriato em Dom Fev 20, 2011 1:22 am

Kllüx escreveu:


Asteróide Apophis: Quase certo que não vai colidir com a Terra - cientistas


Cientistas russos estão a alertar que uma pedra do tamanho de dois campos de futebol está prestes a atingir nosso planeta em 2036. Mas a NASA diz que as possibilidades são de apenas um em um quarto de milhão.






A few Russian scientists are warning that the Apophis asteroid will pass through a tiny 'gravitational keyhole' in 2029, putting it on a collision course with Earth. NASA says that the odds of this happening are vanishingly small.

NASA/Newscom/File

*****

The more likely scenario is this: Apophis will make a fairly close approach to Earth in late 2012 and early 2013, and will be extensively observed with ground-based optical telescopes and radar systems. If it seems to be heading on a destructive path, NASA will devise the scheme and machinery necessary to change the asteroid’s orbit, decreasing the probability of a collision in 2036 to zero, Yeomans said.

There are several ways to change an asteroid’s orbit, the simplest of which is to run a spacecraft into the hurtling rock. This technology was used on July 4, 2005, when Deep Impact smashed into the comet Tempel 1.

***

Planeta Amérika...POIS!
Very Happy




A cair que caia em cima do bidé (vulgo estádio da Luz). Pode ser num dia da semana para não magoar os caceteiros das claques lampeonas. Sempre ficavam com um estádio a dobrar.... o chato era que Alvalade ainda podia levar uns salpicos de trampa.
avatar
Viriato

Pontos : 16657

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Vitor mango em Dom Fev 20, 2011 4:24 am

o lagostas su8ponho que nao apanha kapedra em, cima porque saiu daqui ate 2038

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ
avatar
Vitor mango

Pontos : 108406

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Sab Fev 26, 2011 8:49 am



Ciência: Papa favorável à doação e conservação das células do cordão umbilical





O Papa Bento XVI afirmou-se hoje favorável à doação das células do cordão umbilical, que qualificou como um “ato de solidariedade humana e cristã”, criticando a sua comercialização.

“A investigação médico científica é um valor e não somente para os cientistas mas também para toda a comunidade civil”, afirmou Bento XVI que falava na Cidade do Vaticano na assembleia da Academia Pontifícia para a Vida.

Para Bento XVI “este valor e a necessidade de solidariedade, estão bem evidentes no caso da utilização das células do cordão umbilical”, noticiou a AFP.

O sangue do cordão e a placenta contêm células que permitem o tratamento de pessoas, nomeadamente, leucemia e outras doenças graves de sangue.

“Trata-se de aplicações clínicas importantes e pesquisas prometedoras no plano científico mas cuja realização depende da generosidade acomodação e adequação das estruturas”, salientou o Papa.

O Pontífice declarou-se hostil á “proliferação de bancos privados” para a conservação de sangue umbilical, considerando que “enfraquece o verdadeiro espírito de solidariedade”.


avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Qui Mar 03, 2011 7:39 am





avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Sex Mar 04, 2011 8:24 am

Ciência: Dentes de cavalos de 55 milhões de anos confirmam a hipótese evolutiva de Darwin



Os resultados de análises morfológicas realizadas a mais de 6.500 dentes fósseis de cavalos selvagens, alguns com mais de 55 milhões de anos, confirmam a hipótese evolutiva da seleção natural de Darwin.

Também o processo de adaptação de hábitos alimentares a novos ambientes provocados pelas alterações climáticas foi confirmado através do estudo publicado na revista “Science”, que resulta da colaboração do Instituto Catalão de Paleoecologia Humana e Evolução Social (IPHES), em conjunto com duas equipas norte-americanas.

"Os dentes fósseis mais modernos analisados neste estudo têm 10 mil anos, a época mais recente onde se mantêm restos molares dos primeiros cavalos selvagens, antes da sua extinção, junto com outros grandes animais como os mamutes, coincidem com o período glacial”, explicou um dos responsáveis pelo estudo, Florent Rivals investigador do IPHES.

A investigação que analisa o desgaste de molares fósseis desde há 55 milhões de anos até 10 mil anos, inclui registos de toda a sequência evolutiva do dente de cavalo selvagem.

Os dentes de cavalos selvagens analisados correspondem a 222 terras distintas e a grupos de diferentes zonas geográficas, procedentes na sua maioria das planícies do oeste dos Estados Unidos, e a mais de 70 espécies destes animais extintas.

Os últimos cavalos selvagens originários das planícies norte-americanas, que foram extintos nos Estados Unidos há aproximadamente 10 mil anos após o último período glacial, eram dotados naquela época com dentes muito mais arredondados e desgastados do que o cavalo atual.

As primeiras populações de cavalos viviam na selva tropical com muito calor e alimentavam-se de frutas, portanto os dentes eram afiados e pouco desgastados.

Segundo Rivals, um dos grandes marcos da transformação dental equestre produziu-se há 20 milhões de anos, após uma alteração climática que fez com que a pradaria de gramíneas (família de plantas) proliferasse na América do Norte.

Estas plantas foram ganhando o terreno em extensão das grandes árvores e arbustos de épocas anteriores, que se caracterizavam por conter partículas minerais abrasivas que desgastavam as pontas dos dentes.

Há 40 milhões de anos, os dentes dos cavalos também sofreram um forte desgaste, com a alteração do clima que fez com que passassem da selva tropical a bosques temperados, que fizeram com que a alimentação dos cavalos fosse à base de fruta e vegetação menos mole.

Os investigadores comprovaram que as modificações dos dentes não são imediatas, demoram pelo menos um milhão de anos para afiarem depois de um episódio de alteração climática, o que se traduz numas 100 mil gerações.

avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Ter Abr 05, 2011 10:26 am

LAGOSTA VOADORA 1

conto dieselpunk de Rynaldo Papoy

Getulio Vargas estava em São Paulo pelo mesmo motivo que Dom Pedro I: para fazer sexo. Ah, São Paulo era a terra do sexo. Desde que o Brasil era Brasil, aventureiros e imigrantes de todas as partes do mundo instalavam-se ou transitavam por São Paulo. Portanto, havia inúmeros bordeis, para todas as classes sociais, fossem carregadores de malas, imperadores ou ditadores. Curioso fenômeno da prostituição. Seria o sexo a necessidade humana mais básica? Mais do que a fome? Aglomere pessoas num local isolado, no meio da mata ou do deserto e antes que surja a primeira padaria, surge o primeiro prostíbulo.
Estávamos em meio a Segunda Guerra Mundial. Mais imigrantes. Mais prostitutas. E quem eram as prostitutas? Quem são as prostitutas? Em meio à miséria da guerra, homens ofereciam suas próprias esposas aos soldados, em troca de uma lata de comida. No entanto, num ambiente relativamente próspero, com poucas dificuldades, quem decide inserir-se na profissão? Dir-se-ia que uma prostituta se faz pela ocasião, tal qual um ladrão. Basta prestar um único serviço para o primeiro cliente, que a atividade lucrativa fisga a moça por tempo indeterminado. Como o ladrão que não consegue satisfazer-se com apenas uma ação criminosa.
O ditador Vargas foi apresentado por Dona Pida a Bruna, uma alemã de quinze anos. Nenhuma das duas utilizava seus nomes verdadeiros. Dona Pida, originaria da Bélgica francesa, inicialmente apresentava-se como Madame Spiddiard, mas a freguesia a rebatizou Dona Pida. E Bruna foi a alcunha escolhida para Karen Heim-Stopholsermann, que jamais atingira o destino final de sua jornada, a residência de primos no interior de São Paulo, obtendo abrigo e proposta de emprego de Madame Spiddiard, ou Dona Pida. “Mas você parece uma jeca-tatu”, disse Dona Pida, que falava alemão fluentemente, desde criança, como uma boa belga. Obviamente, ela não traduziu “jeca-tatu”. Karen, agora Bruna, pediu para Dona Pida explicar o significado de “jeca-tatu”. A belga respondeu que uma “jeca-tatu” era uma garota do interior, tímida, corcunda, que mal penteava os cabelos e só tomava banho quando chovia, mantendo o aroma de chiqueiro, nos outros dias. “É exatamente isto o que eu sou, uma jeca-tatu”, respondeu a humilde Bruna. “Vamos mudar isto”. Bruna aprendeu a tomar banho todos os dias, perfumar-se e maquiar-se. Ganhou lingeries que a deixaram corada e outras roupas de tecido fino e cores berrantes. Suas unhas foram pintadas, tanto as das mãos quanto às dos pés e tomou aulas de português. Foi orientada sobre o modo correto de fumar sem ficar com a boca fedendo como um cinzeiro e a beber sem desmaiar. “Quem tem que ficar bêbado é o cliente”. Dona Pida acreditou, inicialmente, que Bruna fosse virgem, portanto seu primeiro programa seria para o cliente mais especial, o mais importante ou com os bolsos mais cheios. Mas Bruna respondeu que não apenas não era virgem como era casada, na Alemanha, e só não tinha vários filhos por azar. Sua irmã Berta, aos 14 anos, já carregava dois, um na mão e outro no colo. O marido de Bruna, servindo ao Exército de Hitler, havia desaparecido.
“Que merda!”, disse Dona Pida. “Você fará o seguinte: fingirá dor no seu primeiro trabalho e dirá que está fazendo sexo pela segunda vez na vida.”
E Getulio Vargas era bobo? Logo que iniciou o coito, pensou: “A putinha alemã está fingindo que é semi-virgem”. Ao final, perguntou: “Qual seu nome verdadeiro?” “Karen”, respondeu titubeante. “Karen de quê?” “Karen... Goebbels”, mentiu. Vargas caiu na gargalhada. “Eu sei que você não é Karen Goebbels. Eu sei quem é Goebbels e por sinal é um conhecido meu que já me pediu para morar no Brasil, ao final da guerra”. “Karen Heim-Stopholsermann”, ela corrigiu. Getúlio Vargas arregalou os olhos. “Que nome é este? É da realeza alemã?” Mas Karen não entendeu nada. Enquanto se vestia, Getúlio, semi-alcoolizado por cachaça, que era sua verdadeira bebida favorita, divertia-se com o sobrenome de Karen. “Heim! Heim! Isso é nome de gente, Heim?”, zombava amplificando o “a” de “Heim”. Karen pensou: “Ele deve conhecer meu primo”. Referia-se ao físico Burkhard Heim, da tropa científica de Hitler. Quando desceram ao térreo, Karen pediu para Dona Pida traduzir o que iria dizer. Que tinha um primo cientista, na Alemanha, chamado Burkhard Heim, que tinha idéias tão avançadas que ninguém dava crédito a ele, mas que provavelmente era o alemão não-judeu mais inteligente de todos os tempos. Getúlio Vargas gostou da informação. Estava criando a sua Fábrica Nacional de Motores, com o objetivo de produzir aviões movidos a gasogênio, quem sabe o primo alemão da jovem prostituta não estivesse interessado num emprego no Brasil?
Getulio Vargas adorava Adolf Hitler e o invejava. Fazia saudações nazistas para si mesmo, no banheiro, pelado, olhando para o espelho. “Heil Vargas!” Vargas... Ele não conseguia nem fazer o povo chamá-lo respeitosamente pelo sobrenome. Os brasileiros, nas ruas, o aclamavam simplesmente como Getúlio, como se fosse parente deles. “Heil Getúlio!” Pegaria bem? Não, seria motivo de escárnio internacional. Mesmo dentro do país, seu nome era motivo de piada. Como aquela em que um homem certa vez havia lhe procurado para mudar o nome. “Como você se chama, meu filho?” “Getulio Diarréia”. “Sim, é bom mudar mesmo. Quer se chamar como? Getúlio Silva, Getúlio Oliveira, Getúlio Correia?” “Não, doutor, o problema é que não quero me chamar Getúlio”. O povo brasileiro era irreverente demais para esta coisa de disciplina nazista. Mas Getúlio Vargas chegou a ter ótimas relações com os nazistas, antes da guerra. Depois, os generais de Hitler e oficiais da Gestapo souberam que iriam perder a guerra. O único que parecia não saber era o próprio chanceler. Por isto criaram uma coisa chamada Odessa, uma estratégia para esconde-los na América do Sul, quando os Aliados tomassem Berlim. Outro grande amigo de Vargas, o também simpatizante do nazismo Juan Domingo Perón, estava ainda mais avançado na recepção aos foragidos. A maioria se esconderia na Argentina. Alguns no Brasil, mas aqui seria uma porta de entrada para os fugitivos. Era o máximo que Getúlio Vargas poderia fazer, afinal, por pressão dos EUA, credores do Brasil, Vargas havia desistido de apoiar os alemães, o que resultou no afundamento de inúmeros navios brasileiros pelos submarinos de Hitler, especialmente navios da Marinha Mercante. E por conta disto, o Brasil foi obrigado a declarar guerra a Alemanha, em 1942.
E qual era a história do tal cientista alemão dado como maluco? Como era mesmo o nome dele? Getúlio pegou o papel no bolso, onde estava anotado: Burkhard Heim. Getúlio mandou buscar o alemão, após o quê, telefonou para os comandantes da Fábrica Nacional de Motores, general Edmundo Soares e brigadeiro Antônio Muniz, e avisou que iria mandar um cientista para ajudar a projetar os motores dos aviões que lá seriam produzidos.
Ao saber que o ditador brasileiro Vargas estava contratando um de seus cientistas, Hitler ficou louco da vida. “Este filho da puta não entra no Eixo e quer roubar meus cientistas? Mande afundar mais navios brasileiros!” Goebbels, seu fiel escudeiro, tranqüilizou o chefe: “Ele está convidando o garoto Heim”. “Quem é este?” “Aquele que mandou o projeto da criação de uma bomba atômica, mas foi rejeitado pelo Instituto de Ciências”. “Foi rejeitado por que? Monte logo essa bomba e acabamos com a guerra”. “O projeto foi rejeitado por Werner Heisenberg, do Instituto, Führer. Heisenberg concluiu que era impossível construir uma bomba como a planejada por Heim”. Hitler lembrou-se da carta do jovem cientista e pediu para sua secretaria trazê-la.
- Olha aqui o que ele diz: “Führer, construa uma bomba atômica antes que os americanos o façam”. – E bateu com a carta fortemente na mesa, fuzilando Goebbels com seus olhos terríveis. – Chame Heisenberg aqui, quero ter uma conversa.
Werner Heinsenberg foi levado ao bunker. Hitler lhe pediu explicações. Heinsenberg, um dos pais da física quântica, disse que seria possível construir uma bomba atômica, mas não como o jovem Burkhard Heim estava prevendo, e sim uma bomba de fusão nuclear. E realmente, os americanos poderiam construir a bomba deles antes, com a orientação de um alemão expulso por Hitler.
- Que alemão? – perguntou o Führer.
- Albert Einstein.
- Mas ele é judeu.
- Por isto mesmo, Führer, ele sabe que quem construir a bomba nuclear primeiro ganhará a guerra.
- Pois chame aqui Max Planck. Essa bomba já deveria estar pronta.
Hitler colocou as mãos para trás e começou a andar de um lado para outro, resmungando:
- Tenho a guerra praticamente ganha e ninguém fala nada. Às vezes, acho que há uma conspiração contra mim no meu próprio “reich”. Você acha que tenho muitos inimigos aqui dentro, Goebbels?
- Com certeza, Führer, o senhor já sofreu mais de vinte atentados.
- Mas o que estes alemães têm contra mim?
- Não sei, meu Führer.
Mas Goebbels sabia. Hitler não era um bom comandante. Havia declarado guerra contra a humanidade e, diferente do que pensava, a Alemanha sairia da guerra pior do que havia entrado. O maior erro de Hitler, porém, não foi este. Foi ter declarado guerra contra os próprios alemães. Nenhum governante inicia uma guerra sem ter o seu próprio povo a seu lado. Mas Hitler preferiu exterminar seus opositores do que trazê-los para seu lado.
Dias depois, Heim tomou o avião para o Brasil. Levou consigo um rolo de fita de um curso de português. Tinha a facilidade de aprender qualquer idioma em questão de horas. Também levou um dicionário de alemão-português, que seria lido por sua esposa Gerta. Heim decoraria o dicionário instantaneamente. Sua esposa precisava ler para ele por um motivo: Heim era cego. Como também era um pouco surdo, ela precisava ler em voz bem alta. E também auxiliava Heim a se vestir, fazer sua higiene e alimentar-se. Heim não possuía as mãos. Tudo isto aconteceu numa explosão em seu laboratório, quando estudava explosivos, sua grande paixão. Construir motores no Brasil não seria muito diferente. Afinal um motor funciona a partir de uma explosão. O governante brasileiro, Getúlio Vargas, queria um combustível alternativo à gasolina. Segundo Vargas, faltariam combustíveis e alimentos no Brasil, por conta da guerra. Era uma besteira. Mas o ditador brasileiro havia aprendido isto com os americanos, a quem prestava contas agora. “Mantenha o povo sob terror constante, é a única maneira de tê-lo a seu lado”. O povo não gosta de saber que está tudo bem, tudo sob controle. Fica desmotivado. Quando Vargas falasse, as pessoas desligariam o rádio. Por isto, ouviu a sugestão dos americanos e avisou ao povo que faltariam combustíveis e alimentos, portanto seria preciso economizar, armazenar e buscar fontes alternativas de energia, como o gasogênio.
Getúlio ficou horrorizado quando viu Burkhard Heim entrando em sua sala, no Palácio do Catete. O aspecto físico de Heim era repugnante, com aqueles ganchos formados pelos ossos dos antebraços, o ulna e o rádio. Mas Getúlio enfim ficou favoravelmente impressionado com a inteligência do garoto. Como assim, havia aprendido a falar português no trajeto de dezesseis horas entre Berlim e o Rio de Janeiro? Era difícil de acreditar, mas era verdade. No jantar que lhe havia mandado preparar, Vargas tentou explicar a Burkhard Heim o que era o gasogênio, mas obviamente, o jovem cientista alemão sabia muito bem o que era.
O carro cedido por Vargas entrou no pátio da Fábrica Nacional de Motores, em Duque de Caxias, numa segunda-feira, às 8h. Heim conversou com os engenheiros e ficou a par do pé em que estava a construção do primeiro avião da FNM.
- Vamos construir um avião que não precise ser abastecido. – anunciou Heim.
Os alemães estavam certos. O jovem cientista era maluco mesmo. A explosão certamente havia lhe afetado as faculdades mentais.
- E como faremos isto, Burkhard? – perguntou o almirante Antônio Muniz.
O jovem gostou da informalidade brasileira. Na Alemanha, era chamado de Senhor Heim desde que havia nascido. Aqui no Brasil, o chamavam pelo primeiro nome. Ele também se divertiu com o apelido que ganhou dos brasileiros: Seu Lagosta. Os funcionários da fábrica não sabiam que Heim era fluente em português e conhecia o significado de “lagosta”. Era uma referência aos ganchos ósseos que possuía no lugar das mãos, dando-lhe a aparência do crustáceo.
Seu Lagosta começou a explicar:
- Os aviões terão motores elétricos.
Os engenheiros se entreolharam.
- A natureza é uma usina natural. – explicou o cientista.
- Concordamos. Mas nem os maiores dínamos produzirão energia elétrica suficiente para manter um avião no ar. – disse almirante Muniz.
- Utilizaremos o magnetismo da Terra, que será transformado em energia elétrica. Haverá um pequeno reator, dentro do avião. Os senhores devem estar pensando: como capturar a energia magnética da Terra? Fácil: revestindo o avião com magneto. As hélices produzirão energia elétrica, que aumentará o campo magnético do avião. O magnetismo da terra será atraído para o avião e transformado em energia cinética, que será armazenada em baterias que produzirão energia suficiente para mover o avião a velocidades extraordinárias. Segundo meus cálculos, poderemos fazer um pequeno avião de combate voar a 100 mil quilômetros por hora.
Os engenheiros estavam incrédulos. Não conseguiam mais ficar sentados. Alguns se levantaram para tomar água ou café ou mesmo usar o banheiro.
- Senhores, eu posso provar! – exclamou Burkhard. – Querida, mostre a fórmula.
A esposa de Burhard desenrolou o papel sobre a mesa:


∆³ = {≤5/3 [µ*±∆ελ² :¼صحڇ (2x)T]§}±tª
_____________________________
-7

Obviamente, os engenheiros não entenderam nada do que Burkhard Heim estava querendo dizer com aquela fórmula. E mesmo que entendessem. O que seriam aqueles símbolos árabes?
- Os senhores estão diante da minha fórmula da captação de energia cinética através da geodinâmica hexadimencional.
Silêncio sepulcral.
- Meu caro Burkhard, coloque um avião para voar com sua técnica que ficaremos satisfeitos. – concluiu o general Edmundo Soares. - Só precisamos de um piloto voluntário.
- Estão olhando para ele. – sentenciou Seu Lagosta.
Desta vez, a esposa de Heim, sempre tão solícita, olhou feio para ele porque sabia que teria que embarcar com o marido nesta experiência. Percebendo a preocupação da esposa, o jovem alemão lhe falou baixinho:
- Não se preocupe, eu vou voar sozinho.
- Agora que fiquei preocupada mesmo.
Naquela noite, Burkhard sonhou que se encontrava consigo próprio, nas instalações que o governo brasileiro havia lhe concedido, num tranqüilo bairro não muito longe da fábrica. No sonho, seu outro Burkhard lhe dizia:
- Heim, você não pode voar. Seu avião vai ultrapassar a velocidade da luz.
- Não vai. Eu calculei bem.
- Se ultrapassar a velocidade da luz, voltará ao passado.
- Isso é conversa fiada do Einstein.
- Para não voltar ao passado, deve aumentar o campo magnético para, no mínimo, 8x. Assim, anulará o espaço-tempo e quando regressar, continuará na mesma época.
Heim acordou e não se importou com o sonho. Interessava-se por sonhos, conhecia as teorias psicanalíticas, mas interpretou aquele sonho como seu subconsciente lhe pedindo para refazer a fórmula. Porém, ele continuava convicto de que sua fórmula estava correta. Essa teimosia já havia lhe custado os olhos e as mãos, mas Burkhard Heim não aprendera a desistir fácil de uma idéia.
O avião levou um mês para ser construído, de acordo com as especificações do jovem cientista alemão. Foi levado ao aeroporto local e posicionado na cabeceira da pista. Alguns jornalistas e fotógrafos estavam presentes, bem como um espião do governo dos EUA.
Burkhard entrou no avião e posicionou-se na cabine. Colocaram-lhe cintos de segurança e um capacete com o fone de ouvido bastante amplificado, para que o cientista-piloto pudesse ouvir a torre. Burkhard batizou o avião de Lagosta Voadora 1. Todos os comandos do avião possuíam sinais sonoros distintos, afinal o rapaz era totalmente cego. Pousaria o avião com ajuda do radar da torre.
- Aqui é Lagosta Voadora 1 pedindo autorização para decolagem.
- Autorização concedida.
Heim empurrou o acelerador e quando o avião atingiu 200 km/h, ouviu um sinal. Aguardou cinco segundos e decolou.
Lagosta Voadora 1 subiu tranqüilamente. E continuou subindo até atingir oito mil pés. Heim virou o manche para colocar o avião sobre o Oceano Atlântico. Era chegada a hora da experiência.
- Atenção, Terra, iniciarei a captação de energia cinética.
Com seu gancho à guisa de mão, Heim girou uma chave.
Lá embaixo, com seus binóculos, os engenheiros da Fábrica Nacional de Motores testemunharam: Lagosta Voadora 1 desapareceu no ar.
Heim, no entanto, sentiu um empuxo tão forte que ficou alguns instantes sem conseguir respirar. Tentou falar com a torre e com os engenheiros, mas não obteve resposta alguma. Não fazia a menor idéia de onde estava. Ficou bastante preocupado. Como iria pousar o avião?
Porém, decidiu avaliar a situação antes de tomar qualquer atitude. Em primeiro lugar, estava se sentindo como se não houvesse gravidade. O avião estava navegando a uma velocidade incalculável, mas não se sentia pressionado na cadeira. A respiração estava um pouco difícil. Heim decidiu colocar a máscara de oxigênio.
Após uma hora nesta situação, decidiu desligar a captação de energia cinética. Sentiu um forte impacto, como se o avião tivesse entrado numa violenta zona de turbulência. Os comandos começaram a apitar, todos eles ao mesmo tempo. O avião estava se desmanchando no ar.
Sem alternativa, Heim puxou o ejetor e foi expelido do avião.
O para-quedas se abriu. Depois de um certo tempo, ele chegou ao solo. Por sorte, não fraturou as pernas ou a coluna vertebral, mas gritou de dor com o impacto.
- Não caí no mar... estarei na África?
Custosamente, levantou-se e desvencilhou-se do para-quedas.
- Olá!
Nenhuma resposta. Continuou gritando e resolveu andar, cautelosamente. Uma hora depois, foi encontrado por sitiantes. Para sua enorme surpresa, estava no Brasil novamente, no Estado de Minas Gerais, próximo à divisa com o Rio de Janeiro.
Através de caronas, chegou, após dois dias, em suas instalações. Entrou em casa. Era noite. Decidiu não chamar por sua esposa para não acordá-la. Tateou até chegar a seu quarto e quase caiu de costas ao perceber que havia pessoas deitadas em sua cama. E ele conhecia aquele aroma. Era sua esposa. Acompanhada de quem? Não, não era possível, não havia acontecido aquilo!
Burkhard tateou o braço do homem, deitado ao lado de sua mulher, até chegar ao gancho que havia lhe conferido o apelido de Seu Lagosta.
Horrorizado, Burkhard levou o braço à boca para tapar um grito de horror.
De fato, ele havia viajado no tempo e voltado ao passado.
Tateou de volta pela casa, até chegar à sala. Sentou-se num sofá e pensou. E pensou.
Duas horas depois, voltou para o quarto e decidiu acordar o outro Burkhard. Cutucou-o.
- Acorde, Burkhard! Acorde! - disse em voz alta.
Sua esposa, no entanto, misteriosamente não acordou com seus berros, como se ignorando completamente a presença de um outro Burkhard ali.
- O que? – disse o Burkhard que dormia. – Quem está aí?
- Heim, você não pode voar. Seu avião vai ultrapassar a velocidade da luz.
- Não vai. Eu calculei bem.
- Se ultrapassar a velocidade da luz, voltará ao passado.
- Isso é conversa fiada do Einstein.
- Para não voltar ao passado, deve aumentar o campo magnético para, no mínimo, 8x. Assim, anulará o espaço-tempo e quando regressar, continuará na mesma época.
O Burkhard viajante no tempo desapareceu no ar. O outro voltou a dormir, acreditando ser um sonho.
Na manhã seguinte, iniciaram a construção do Lagosta Voadora 1.

fim.
avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Qui Abr 21, 2011 5:28 pm




avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Seg Maio 30, 2011 11:14 am













100 anos da descoberta de Machu-Picchu

Assinalou-se com pompa e circunstância o centenário da descoberta da cidade Inca pelos americanos. Situada no Peru em local de difícil acesso, na zona de Cuzco, antiga capital do Império Inca, Machu-Picchu foi construída a 2430 metros de altitude.

A cidade foi desconhecida de quase todo o mundo até 1911, altura em que as suas ruínas foram descobertas por Hiram Bingham. Em 1983 foi considerada pela Unesco como património mundial da humanidade e em 2007 foi eleita uma das sete maravilhas do mundo construídas pelo homem.

"Hiram Bingham, um académico de Yale (...) chegou ao local no dia 24 de julho de 1911 à frente de uma expedição científica.

O país decidiu fazer a festa no dia 7 de Julho porque se assinalam os quatro anos desde que Machu Picchu foi considerada uma das Novas Sete Maravilhas do Mundo Moderno pela fundação New7Wonders."



Última edição por Kllüx em Sex Set 16, 2011 12:22 pm, editado 3 vez(es)
avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Seg Maio 30, 2011 11:16 am

avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Seg Maio 30, 2011 11:20 am



Machu Picchu
avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Sex Jun 24, 2011 6:38 am



Investigação: Diabetes tipo 2 pode combater-se com dieta diária de 600 calorias - cientista


Londres, Reino Unido 24/06/2011 (EFE)

A diabetes tipo 2 pode eliminar-se em sete dias com a adoção de uma dieta diária de 600 calorias, defende um cientista da Universidade de Newcastle.

O diretor do Centro de Ressonância Magnética daquela universidade inglesa, Roy Taylor, submeteu durante oito semanas um grupo de 11 voluntários a quem tinha sido diagnosticada a doença a uma dieta extrema de bebidas especialmente concebidas para este efeito e a verduras sem amido.

Uma semana depois, os níveis de açucar no sangue antes do pequeno almoço tinham voltado ao normal, o que indicava que o pâncreas e o fígado estavam a funcionar.

Ao fim de oito semanas, todos os voluntários tinham conseguido eliminar a sua diabetes e três meses depois sete deles estavam livres da doença.

Segundo Roy Taylor, que apresenta no próximo fim de semana, a sua descoberta numa conferência da Associação Norte-Americana contra a Diabetes em San Diego, nos EUA, um excesso de gordura impede o funcionamento do pâncreas a nível celular e a normal segregação de insulina, que regula o açucar no sangue.

Quando, com aquela dieta, se elimina a gordura, o pâncreas recupera o seu normal funcionamento.

Até há pouco tempo, acreditava-se que a diabetes tipo 2, a mais frequente, era irreversível, mas agora o cientista britânico afirma ter demonstrado que pode inverter-se o processo.



avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Vitor mango em Sex Jun 24, 2011 7:56 am

Kllüx escreveu:


Investigação: Diabetes tipo 2 pode combater-se com dieta diária de 600 calorias - cientista


Londres, Reino Unido 24/06/2011 (EFE)

A diabetes tipo 2 pode eliminar-se em sete dias com a adoção de uma dieta diária de 600 calorias, defende um cientista da Universidade de Newcastle.

O diretor do Centro de Ressonância Magnética daquela universidade inglesa, Roy Taylor, submeteu durante oito semanas um grupo de 11 voluntários a quem tinha sido diagnosticada a doença a uma dieta extrema de bebidas especialmente concebidas para este efeito e a verduras sem amido.

Uma semana depois, os níveis de açucar no sangue antes do pequeno almoço tinham voltado ao normal, o que indicava que o pâncreas e o fígado estavam a funcionar.

Ao fim de oito semanas, todos os voluntários tinham conseguido eliminar a sua diabetes e três meses depois sete deles estavam livres da doença.

Segundo Roy Taylor, que apresenta no próximo fim de semana, a sua descoberta numa conferência da Associação Norte-Americana contra a Diabetes em San Diego, nos EUA, um excesso de gordura impede o funcionamento do pâncreas a nível celular e a normal segregação de insulina, que regula o açucar no sangue.

Quando, com aquela dieta, se elimina a gordura, o pâncreas recupera o seu normal funcionamento.

Até há pouco tempo, acreditava-se que a diabetes tipo 2, a mais frequente, era irreversível, mas agora o cientista britânico afirma ter demonstrado que pode inverter-se o processo.




Olha olha tambem eu kria
1 em cada 5 rtugas e diabetico sem o saber
O Grau 2 é a doença mais perogosa que existe porque o indigena nao o sabendo as microcelulas vao pro galheiro
Uma formula eficaz é o exercito fisico diario para acabar com a acumulaçao de açucares no figado
ai sim o metodo resulta

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ
avatar
Vitor mango

Pontos : 108406

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Ter Jul 12, 2011 7:48 pm


Médico cientista luso-americano Dr. Ronald DePinho nomeado presidente do Conselho de Administração da UT MD Anderson Cancer Center em Houston Texas


Dr. Ronald DePinho


Por cândido mesquita (LA Newspaper)


O conhecido médico cientista Dr. Ronald DePinho, foi nomeado no passado dia 9 de Junho,
para presidir ao Conselho de Administração da Universidade do Texas MD Anderson
Cancer Center, em Houston.


Após quatro semanas de reuniões, a UT Sistema de Regentes (Comité Executivo) nomeou este médico luso-americano,
finalista único para suceder ao Dr. John Mendelsohn, que deixa o cargo a 31 de
agosto, após 15 anos como presidente do MD Anderson.


A sua experiência na area cientifica, levou à escolha deste professor de Harvard e administrador
do Instituto do Cancro, ao cargo de novo administrador do MD Anderson. O Dr.
DePinho tinha sido nomeado para o cargo já no mês passado e vai iniciar as suas
funções no dia 1 de Setembro.

O Dr. Ronald DePinho, já desafiou os cientistas da University do Texas MD
Anderson Cancer Center a desenvolver novas abordagens para o tratamento do cancro.

No seu primeiro discurso ao corpo docente e funcionários, DePinho disse que, se
o MD Anderson quiser permanecer líder mundial no tratamento do cancro, deve
inventar e colocar em prática novos métodos de descoberta e tratamentos. Se
continuarmos com o mesmo sistema a nível de tratamentos, seremos ultrapassados
neste campo, a humanidade está a contar com nós, este é o nosso momento. As
linhas de batalha foram traçadas, a ciência para a cura do cancro está a passar
por um momento histórico em que os elementos estão no lugar exacto para termos exito na cura.


O oncologista será capaz não apenas de reduzir as mortes, mas também obter o controle da doença
uma vez que os cientistas corretamente aproveitem os novos conhecimentos e a tecnologia.
sublinhou DePinho, geneticista de Harvard.


O seu discurso terminou com 12 pontos de prioridade para a sua nova administração, incluindo a manutenção de um forte
compromisso com os doentes de cancro, promovendo produtivas colaborações
multi-institucionais, mantendo o MD Anderson, um ótimo lugar para trabalhar e
continuar a ser o líder mundial em genética e ensaios clínicos.

DePinho é considerado uma estrela na pesquisa do cancro, especialmente no seu
trabalho relacionado com o cérebro, gastrointestinal, sangue e próstata.


Este cientista recebeu em 2009 o prémio Albert Szent-Gyrgyi para investigação
sobre cancro, e em 2007 a medalha de Helsinki, além de anteriores distinções da
American Society for Clinical Investigation.


O seu nome já foi algumas vezes referenciado para o Nobel, e uma
colaboradora próxima, Carol Greider, recebeu esta distinção em 2009.


O luso-americano diz-se satisfeito com o reconhecimento que o trabalho
da sua equipa tem merecido e diz que o Nobel o deixaria “claramente
surpreendido”.


“A maior satisfação que tenho é a de ver os meus estudantes e
estagiários a fazerem coisas importantes, a contribuírem para a sociedade”.
Disse DePinho recentemente em declarações à imprensa.





Sobre o Centro de Cancro MD Anderson UT

A Universidade do Texas MD Anderson Cancer
Center em Houston esta classificada como um dos centros mais respeitados do
mundo no tratamento de doentes com cancro, pesquisa, educação e prevenção. O MD
Anderson é um dos 40 centros de tratamento do cancro designados pelo Instituto
Nacional do Cancro. Nos sete dos últimos nove anos, incluindo 2010, o MD
Anderson classificou- se em primeiro lugar, no cuidado do cancro entre "os melhores hospitais da
América," num exame publicado anualmente nos EUA News & World Report.
A Faculdade MD Anderson detem outorgas de mais investigação e dólares na
concessão do Instituto Nacional do Cancro, do que qualquer outra instituição
dos EUA.

Sobre a University of Texas System

A University of Texas System é uma dos maiores do país no ensino superior, com nove campus
académicos e seis instituições de saúde. O Sistema UT tem um orçamento
operacional anual de
$12,8 bilhões (2011) incluindo $2,3 bilhões em programas patrocinados e financiado por fontes
federais, estaduais, municipais e privadas. As matrículas preliminares
excederam 211.000 no ano académico de 2010. O Sistema UT confere mais de um
terço dos cursos de graduação do estado e educa cerca de três quartos dos
profissionais de saúde anualmente. Com mais de 68.000 empregados, o Sistema de
UT é um dos maiores empregadores no estado.





avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Sex Jul 15, 2011 9:01 am

Literatura: Maunuscrito inédito de Jane Austen rematado por 1,12 milhões de euros



Londres, Inglaterra july 15 2011 (bbc efe afp)

Um manuscrito de um romance inacabado de Jane Austen, sob o título “The Watsons”, foi vendido quinta-feira num leilão em Londres por 1,12 milhões de euros, triplicando o valor base de licitação.

O manuscrito, dos poucos bem conservados da autora de "Orgulho e Preconceito", foi avaliado pela Sotheby’s entre os 322 mil e os 483 mil euros, e encontrava-se em mãos privadas, noticiou a BBC.

"The Watsons", escrito em 1804, foi agora para a Biblioteca Bodleian, pertencente à Universidade de Oxford (Reino Unido), noticiou a AFP.

Segundo a agência Efe o romance conta a vida de uma família composta por quatro irmãs de um clérigo, como era o caso da própria escritora inglesa. A protagonista é uma jovem que regressa ao lar paterno depois de ter sido educada por uma tia rica.

Gabriel Heaton, da Sotheby's, disse à BBC que o manuscrito é especialmente importante porque é uma minuta com notas e marcas feitas pela escritora nas páginas.

Segundo a Efe são raros os manuscritos de Jane Austen (1775-1817), existem alguns capítulos de “Persuasão”, “Lady Susan” e “Sanditon”, este último interrompido devido à morte da autora.


*****

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Jane Austen

Único retrato original de Jane Austen, aquarela feita por Cassandra Austen, 1810.
Nascimento 16 de Dezembro de 1775
Steventon
Reino Unido
Morte 18 de julho de 1817 (41 anos)
Winchester
Reino Unido
Ocupação Romancista
Principais trabalhos Pride and Prejudice, Sense and Sensibility, Persuasion, Emma
Jane Austen (Steventon, 16 de dezembro de 1775 – Winchester, 18 de julho de 1817) foi uma proeminente escritora inglesa. A ironia que utiliza para descrever as personagens de seus romances a coloca entre os clássicos, haja vista sua aceitação, inclusive na atualidade, sendo constantemente objeto de estudo acadêmico, e alcançando um público bastante amplo.[1]
Nascida em Steventon, Hampshire, de uma família pertencente à burguesia agrária, sua situação e ambiente serviram de contexto para todas as suas obras, cujo tema gira em torno do casamento da protagonista. A inocência das obras de Austen é apenas aparente, e pode ser interpretada de várias maneiras. Os meios acadêmicos a têm considerado uma escritora conservadora, apesar de a crítica feminista atual reconhecer em suas obras uma dramatização do pensamento de Mary Wollstonecraft sobre a educação da mulher.
avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Dom Jul 24, 2011 6:24 am

Dia dos Avós: Homens portugueses vivem menos, mas com mais qualidade que as mulheres - especialista


Os homens portugueses vivem em média menos tempo do que as mulheres, mas, ao contrário do resto da Europa, têm mais qualidade de vida, com menos situações de incapacidade, disse hoje uma especialista em Demografia.

Em Portugal, nos últimos 50 anos, a esperança de vida à nascença aumentou, quer para os homens, quer para as mulheres, em cerca de 15 anos. As pessoas nascidas em 1960 podiam esperar viver menos 15 anos em média face aos números atuais, quer fossem homens ou mulheres.

"Houve um aumento de quantidade de anos [de vida], mas nem sempre a quantidade de anos se faz acompanhar por qualidade. Viver mais tempo não significa que se viva mais tempo bem", disse à agência Lusa a diretora da Pordata, Maria João Valente Rosa.

"Quando olhamos para o número de anos de vida saudável, ou seja, sem incapacidade física" os homens portugueses, o que não se passa em todos os países da Europa, vivem melhor do que as mulheres, explicou a demógrafa.

Maria João Valente Rosa resumiu a situação em Portugal dizendo que "os homens vivem menos tempo em média, mas vivem com mais qualidade, enquanto vivem".

Perto do Dia Nacional dos Avós, que se assinala na terça-feira, estes dados chamam a atenção para a predominância da presença das avós, mas realçam que a "boa forma" parece ser mais comum entre os avôs, nomeadamente para as brincadeiras com os netos.

Ainda "não há argumentos" para explicar esta diferença face a muitos outros países da União Europeia e a especialista questiona porque é que na média da UE não é assim, já que "os homens vivem menos e também vivem menos tempo em qualidade".

Trata-se de uma "especificidade nacional que era importante estudar", salientou.

Nascem mais rapazes do que raparigas, mas, ao longo da vida, em regra, "a intensidade da mortalidade é superior nos homens, ou seja, as mulheres têm uma esperança de vida por regra superior à dos homens, qualquer que seja a idade".

Atualmente, em Portugal, a esperança média de vida dos homens é de 76 anos e das mulheres é de 82 anos, um diferencial que se tem vindo a manter com o tempo e não é exclusivo da população portuguesa.

"Há um ajuste quase natural. Nas idades mais avançadas encontramos mais mulheres. Temos porventura muito mais avós do que avôs. Globalmente, a população portuguesa tem quase tantos homens como mulheres, mas quando avançamos na idade esta relação de força estatística vai-se fazendo a favor das mulheres", referiu ainda a diretora da Pordata.
avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Qui Jul 28, 2011 5:53 am


First Asteroid Companion of Earth Discovered at Last



By Charles Q. Choi, SPACE.com Contributor

The first in a long-sought type of asteroid companion to Earth has now been discovered, a space rock that always dances in front of the planet along its orbital path, just beyond its reach.
The asteroid, called 2010 TK7, is nearly 1,000 feet (300 meters) across and currently leading the Earth by about 50 million miles (80 million kilometers).
The asteroid is the first in a category known as Earth's Trojans, a family of space rocks that could potentially be easier to reach than the moon, even though its member asteroids can be dozens of times more distant, researchers said. Such asteroids, which have long been suspected but not confirmed until now, could one day be valuable destinations for missions, especially loaded as they might be with elements rare on Earth's surface, they added. [Photo and orbit of Asteroid 2010 TK7]
To imagine where Trojan asteroids are, picture the sun and Earth as being two points in a triangle whose sides are equal in length. The other point of such a triangle is known as a Trojan point, or a Lagrangian point after the mathematician who discovered them. The sun and Earth have two such points, one leading ahead of Earth, known as its L-4 point, and one trailing behind, its L-5 point.
The sun and other planets have Lagrangian points as well, and asteroids have been seen at those the sun shares with Jupiter, Neptune and Mars. Scientists had long suspected the sun and Earth had Trojans as well, but these companions would dwell mostly in the daytime sky as seen from Earth, making them largely hidden in the sunlight.
Now, with the aid of the Wide-field Infrared Survey Explorer (WISE) satellite launched in 2009, astronomers have discovered Earth's first probable Trojan, a rock that spends its time at the sun-Earth L-4 point.
Earth's first Trojan asteroid
Asteroid 2010 TK7 has a bizarre, chaotic orbit.
Trojan asteroids typically do not orbit right at the Lagrangian points but in tadpole-shaped loops around them, due to the gravitational attraction of other bodies in the solar system. However, 2010 TK7's tadpole orbit is unusually large, at times taking it nearly as far as the opposite side of the sun from the Earth. [Photos: Asteroids in Deep Space]
"This one has behavior much more interesting than I thought we would find," study co-author Martin Connors, an astronomer at Athabasca University in Canada, told SPACE.com. "It seems to do things not seen for Trojans before. Still, it had to have some kind of extreme behavior to move it far enough from its Lagrangian point to get within our view."
Connors and his team began their search for an Earth Trojan using data from WISE's asteroid- and comet-hunting project, called NEOWISE, named after Near-Earth Objects and WISE.
The WISE telescope scanned the whole sky in infrared light from January 2010 to February 2011, a hunt that resulted in two candidates, one of which, 2010 TK7, was confirmed to be an Earth Trojan after follow-up observations at the Canada-France-Hawaii Telescope on Mauna Kea, Hawaii.
The researchers have calculated the asteroid's orbit well enough to understand where it will be over the next 10,000 years — 2010 TK7 will not approach Earth any closer than 12.4 million miles (20 million kilometers), which is more than 50 times the distance from Earth to the moon.
"It's as though the Earth is playing follow the leader," said Amy Mainzer, the principal investigator of NEOWISE at NASA's Jet Propulsion Laboratory, who was not a part of the study. "Earth is always chasing this asteroid around."
The fact that 2010 TK7's behavior is chaotic enough to take it quite far from its rather stable Trojan point suggests it is only marginally trapped there, having perhaps only recently been disturbed from its original position. The researchers will run more computer models of its orbit to find out what happened, Connors said.
Asteroid 2010 TK7 may be the first confirmed Earth Trojan asteroid, but there are several space rocks known to exist in relatively stable orbits in our planet's neighborhoods. They include asteroids Cruithneand 2010 SO16, which have vast horseshoe-shaped orbits, and at least two others. But none of these other asteroids have been conformed to be Earth Trojans.
Still much unknown
So far 2010 TK7 does not have a formal name. "Its orbit needs to be nailed down before a name is considered, so it'll take a couple of years more observations before the WISE team can give it one," Connors said.
No color information of it is at yet available of 2010 TK7 to shed light on its composition. In principle asteroids could have a similar makeup to Earth's, but since they are smaller they would have cooled down faster, meaning that heavier substances would not have had time to sink to their centers as they did on our planet.
As such, elements that are uncommon on Earth's surface might be more accessible on asteroids.
"We could be mining these things one day," Connors said.
Unfortunately, 2010 TK7 is not a good target because it travels above and below the plane of Earth's orbit, which means it would require large amounts of propellant to reach. However, if other Earth Trojans do exist, they could prove more accessible.
Now that the researchers have found one, "it makes you want to wonder if there are any more," Connors said. He noted hopefully the Panoramic Survey Telescope and Rapid Response System (Pan-STARRS) array of telescopes and cameras aimed at detecting near-Earth objects could turn more up.
The scientists detailed their findings in the July 28 issue of the journal Nature.
Follow SPACE.com contributor Charles Q. Choi on Twitter @cqchoi. Visit SPACE.com for the latest in space science and exploration news on Twitter @Spacedotcom and on Facebook.

avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Vitor mango em Qui Jul 28, 2011 8:49 am

bhu brtiu vreçh islava hyui karagi burandu biskanete

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ
avatar
Vitor mango

Pontos : 108406

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Qua Ago 03, 2011 5:20 pm



É preciso voltar muito atrás na história do nosso satélite para seguir a hipótese proposta por Martin Jutzi e Erik Asphaug, os dois autores do estudo que trabalham na Universidade de Califórnia, Estados Unidos. Uma das teorias mais consensuais que explica a formação da Lua refere que um objecto do tamanho de Marte chocou contra a Terra no início da sua formação.

Este choque lançou para o espaço uma quantidade de material que passou a orbitar o nosso planeta. Uma parte importante desse material deu origem à Lua, que foi aos poucos limpando o resto dos detritos através da força gravítica que exercia. Hoje, no céu à volta da Terra, é o único satélite natural que existe, ao contrário de Marte que tem duas luas ou Júpiter que tem 64.

Jutzi e Asphaug observaram as características da topografia da Lua, o tamanho da crosta nos dois lados e a química das rochas, e acrescentaram há história do satélite um novo capítulo que simularam no computador. “O impacto produziu um disco de detritos à volta da Terra e a partir disco tivemos a Lua, mas não há razão para só se ter formado uma lua”, disse ao Guardian Jutzi.

O segundo satélite teria cerca de 1200 quilómetros de diâmetro – um terço do tamanho da Lua – e estaria na mesma órbita mas mais afastada. Esta pequena lua ter-se-á mantido estável durante algumas dezenas de milhões de anos até que a órbita “se tornaria instável e qualquer objecto preso nela ficaria à deriva”, explicou por sua vez Aspaugh numa notícia da Nature.

O resultado, segundo o estudo, é que as luas colidiriam. Mas como estavam na mesma órbita, esta colisão foi suficientemente vagarosa para que não se tenha formado uma super cratera. “Formou-se uma cratera de apenas um quinto do tamanho do objecto que colidiu, e que se esborrachou na cavidade formada”, disse o cientista.

Na altura, esta nova lua, por ser mais pequena, já teria solidificado. Ao contrário, a Lua que conhecemos, só teria uma pequena crosta sólida, por baixo estaria um manto com material em estado líquido. O resultado do impacto, segundo os cientistas, explicaria muito do que se conhece hoje da Lua.

Por um lado, formaria o território irregular e montanhoso que se conhece no lado escuro do satélite. Mas também poderá explicar o facto de a crosta do lado escondido ser mais espessa do que a do outro lado, devido à acumulação de material da lua pequena.

Por outro lado, as rochas da superfície do lado virado para a Terra têm uma maior quantidade de elementos do manto. Esta característica terá sido originada pelo desarranjo do manto ocorrido durante a colisão, que terá feito com que camadas de magma viessem à superfície e trouxessem esses elementos.

Apesar de esta ideia ter sido bem acolhida pela comunidade científica, enquanto não houver provas não passará de uma teoria. A Lunar Reconnaissance Orbiter, a nave da NASA que vai conseguir obter com mais detalhe a estrutura interna da Lua, poderá ajudar nesta pesquisa.

Mas a situação ideal seria analisar rochas do lado escuro para perceber se são originais da segunda lua. “Com sorte, no futuro, uma missão que traga amostras ou uma missão humana irá com certeza ajudar a revelar qual é a teoria mais provável”, disse citado pela BBC News, Jutsi. Era a hipótese de se ir até ao satélite, e vir de lá com pedaços de uma antiga lua irmã.

avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Seg Ago 22, 2011 6:23 am



Pesquisadores dizem que encontraram uma causa comum de todos os tipos de ALS

Google Translate



Domingo,
21 de agosto (HealthDay News) - A descoberta aparente de uma causa
comum de todas as formas de esclerose lateral amiotrófica (ELA) poderia
dar um impulso aos esforços para encontrar um tratamento para a doença
neurodegenerativa fatal, um novo estudo afirma.

Os
cientistas têm lutado muito para identificar o processo da doença
subjacente de ALS (também conhecida como doença de Lou Gehrig) e não
foram sequer certeza de que um processo de doença comum foi associada
com todas as formas de ALS.

Neste
novo estudo, pesquisadores da Northwestern University disse que eles
descobriram que a base de ALS é um sistema de reciclagem de mau
funcionamento da proteína nos neurônios do cérebro e da medula espinhal.
Reciclagem eficiente dos blocos de construção da proteína nos neurônios são críticos para o bom funcionamento dos neurônios. Eles são muito prejudicados quando não é possível reparar ou manter-se.

Esse problema ocorre em todos os três tipos de ALS: hereditária, ALS esporádico e que visa o cérebro, disseram os pesquisadores.

A
descoberta, publicada 21 de agosto na revista Nature, mostra que todas
as formas de ALS partes uma causa subjacente e oferece um objectivo
comum para a terapia de droga, de acordo com os pesquisadores.

"Isto
abre um novo campo para encontrar um tratamento eficaz para ALS,"
estudo autor sênior Dr. Teepu Siddique, do Departamento de Neurologia e
Davee Neurociências Clínicas na Northwestern Feinberg School of
Medicine, disse em um comunicado de imprensa da universidade. "Nós
podemos agora testar medicamentos que regulam esta via proteína ou
otimizá-lo, por isso funciona como deveria em um estado normal."

Este
achado sobre a repartição da reciclagem de proteínas em ALS também pode
ser útil no estudo de outras doenças neurodegenerativas,
especificamente a doença de Alzheimer e outras demências, os
pesquisadores Northwestern, disse.

ALS aflige cerca de 350.000 pessoas em todo o mundo. Cerca de 50 por cento dos pacientes morrem dentro de três anos dos primeiros sintomas. Eles
perdem progressivamente a força muscular até que eles estão paralisados
​​e não pode se mover, falar, engolir e respirar, disseram os
pesquisadores.

Mais informações

Os EUA do Instituto Nacional de Distúrbios Neurológicos e Derrame tem mais sobre ALS.


Notícia original

Researchers Say They've Found Common Cause of All Types of ALS
HealthDay

SUNDAY, Aug. 21 (HealthDay News) -- The apparent discovery of a common cause of all forms of amyotrophic lateral sclerosis (ALS) could give a boost to efforts to find a treatment for the fatal neurodegenerative disease, a new study contends.
Scientists have long struggled to identify the underlying disease process of ALS (also known as Lou Gehrig's disease) and weren't even sure that a common disease process was associated with all forms of ALS.
In this new study, Northwestern University researchers said they found that the basis of ALS is a malfunctioning protein recycling system in the neurons of the brain and spinal cord. Efficient recycling of the protein building blocks in the neurons are critical for optimal functioning of the neurons. They become severely damaged when they can't repair or maintain themselves.
This problem occurs in all three types of ALS: hereditary, sporadic and ALS that targets the brain, the researchers said.
The discovery, published Aug. 21 in the journal Nature, shows that all forms of ALS share an underlying cause and offers a common target for drug therapy, according to the researchers.
"This opens up a whole new field for finding an effective treatment for ALS," study senior author Dr. Teepu Siddique, of the Davee Department of Neurology and Clinical Neurosciences at Northwestern's Feinberg School of Medicine, said in a university news release. "We can now test for drugs that would regulate this protein pathway or optimize it, so it functions as it should in a normal state."
This finding about the breakdown of protein recycling in ALS may also prove useful in the study of other neurodegenerative diseases, specifically Alzheimer's and other dementias, the Northwestern researchers said.
ALS afflicts an estimated 350,000 people around the world. About 50 percent of patients die within three years of the first symptoms. They progressively lose muscle strength until they're paralyzed and can't move, speak, swallow and breathe, the researchers said.
More information
The U.S. National Institute of Neurological Disorders and Stroke has more about ALS.

avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Ter Ago 23, 2011 8:19 pm

Biodiversidade: Planeta Terra tem 8,7 milhões de espécies conhecidas, mas milhares estão por descobrir - estudo



O planeta Terra tem 8,7 milhões de espécies conhecidas, das quais 2,2 milhões estão nos oceanos, mas ainda existem muitas por descobrir, descrever e catalogar, conclui um estudo hoje divulgado pela publicação PLoS Biology.

A nova estimativa das espécies surge através dos cientistas do Census da Vida Marinha e baseia-se numa nova técnica de análise que ultrapassa as anteriores estimativas, onde era apontado um número entre três e 100 milhões.

Os especialistas salientam que 86 por cento de todas as espécies na terra e 91 por cento daquelas que povoam os oceanos ainda são desconhecidas.

Um dos coordenadores do estudo, Camilo Mora, da University of Hawaii e da Dalhousie University de Halifax, no Canadá, salienta que "a questão de quantas espécies existem intrigou os cientistas desde há vários séculos e a resposta é agora particularmente importante porque as várias atividades humanas estão a acelerar as extinções".

Aliás, "muitas espécies podem desaparecer antes mesmo de sabermos da sua existência, da função nos ecossistemas ou da potencial contribuição para melhorar o bem-estar humano", acrescenta Camilo Mora, citado num comunicado hoje divulgado.

"Se não soubermos qual o número de pessoas existentes numa nação, como poderemos planear o futuro?", questiona outro dos autores do estudo, Boris Worm, da Dalhousie University, para quem o mesmo se passa com a biodiversidade.

"A humanidade comprometeu-se a salvar espécies animais da extinção, mas até agora tínhamos uma pequena ideia acerca de quantos eram", acrescenta.

Boris Worm refere que a Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza, recentemente atualizada, aponta para 59.508 espécies, das quais 19.625 estão classificadas como ameaçadas, ou seja, menos de um por cento das espécies de todo o mundo.

avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Ter Ago 30, 2011 6:37 am


Gold Coins: The Mystery of the Double Eagle


U.S. Mint/AP Photo


How did a Philadelphia family get hold of $40 million in gold coins, and why has the Secret Service been chasing them for 70 years?


The most valuable coin in the world sits in the lobby of the Federal Reserve Bank of New York in lower Manhattan. It's Exhibit 18E, secured in a bulletproof glass case with an alarm system and an armed guard nearby. The 1933 Double Eagle, considered one of the rarest and most beautiful coins in America, has a face value of $20—and a market value of $7.6 million. It was among the last batch of gold coins ever minted by the U.S. government. The coins were never issued; most of the nearly 500,000 cast were melted down to bullion in 1937.


Most, but not all. Some of the coins slipped out of the Philadelphia Mint before then. No one knows for sure exactly how they got out or even how many got out. The U.S. Secret Service, responsible for protecting the nation's currency, has been pursuing them for nearly 70 years, through 13 Administrations and 12 different directors. The investigation has spanned three continents and involved some of the most famous coin collectors in the world, a confidential informant, a playboy king, and a sting operation at the Waldorf Astoria in Manhattan. It has inspired two novels, two nonfiction books, and a television documentary. And much of it has centered around a coin dealer, dead since 1990, whose shop is still open in South Philadelphia, run by his 82-year-old daughter.

"The 1933 Double Eagle is one of the most intriguing coins of all time," says Jay Brahin, an investment adviser who has been collecting coins since he was a kid in Philadelphia. "It's a freak. The coins shouldn't have been minted, but they were. They weren't meant to circulate, but some did. And why has the government pursued them so arduously? That's one of the mysteries."

The story begins just after the inauguration of Franklin Roosevelt on Mar. 4, 1933, in the midst of the Great Depression. Thousands of banks had already gone under as people panicked and withdrew their gold and other deposits. As the gold supply—much of it kept at the Federal Reserve Bank of New York—dwindled, the country faced possible insolvency. On Apr. 5, Roosevelt issued Executive Order 6102, which prohibited the hoarding of gold and required citizens to exchange their gold coins for paper currency.

It was Roosevelt's distant cousin, Theodore, who had commissioned the sculptor Augustus Saint-Gaudens to design a high-relief $20 gold coin in the early 1900s. Teddy Roosevelt wanted an American coin that matched the beauty of the ancient Greek ones, and Saint-Gaudens completed the work just before his death from cancer in 1907. On one side is an image of Liberty, a figure reminiscent of a Greek goddess, hair flowing, olive branch in her left hand, torch in her right. On the other is an eagle in midflight, the sun rising behind it.

The Mint had produced the Saint-Gaudens Double Eagles almost every year since 1907, and 1933 was no different. By May, as the gold recall was under way, the Mint finished pressing 445,500 of the coins. None were issued. Instead the coins, weighing nearly 15 tons, were put into 1,780 canvas bags and sealed behind three steel doors in Philadelphia Mint Vault F-Cage 1. Only two were thought to have been saved, and they were sent to the Smithsonian.

In January 1934, Congress passed the Gold Reserve Act, which allowed the President to nationalize, in effect, the gold held by the Federal Reserve and increase the price of an ounce. This in turn devalued the dollar, which was supposed to stimulate the troubled economy. The director of the Mint then ordered all the nation's gold coins to be melted into bars. The bars would be kept in the newly constructed Fort Knox. The task was enormous: It wasn't until early 1937 that the Philadelphia Mint sent its $50 million worth of coins, including the 1933 Double Eagles, to the furnace.

Around this time, a 41-year-old Philadelphia jeweler named Israel Switt offered several 1933 Double Eagles to some of the most prominent coin dealers and collectors of the day, according to Secret Service documents since made public. Switt sold one, now Exhibit 18E, to a Texas dealer who then sold it to King Farouk of Egypt for $1,575. A royal representative in the U.S. requested an export license for the coin and, unbeknownst to the Secret Service, the Secretary of the Treasury issued one on Feb. 29, 1944.

That same month, Stack's, the rare coin dealer in New York, announced an auction for another Double Eagle. It wasn't until early March, though, that the Secret Service heard about the sale and realized that some of the coins had been taken out of the Mint. King Farouk's Double Eagle had already been delivered to him in Cairo by diplomatic pouch. Agents confiscated the second coin before Stack's could sell it and launched the investigation that continues today. "The government has been fanatical about seizing and destroying these coins," says Robert W. Hoge, curator of North American coins and currency at the American Numismatic Society. "They're famous because the government has been seizing them since the 1940s."

The first phase of the Secret Service investigation would trace 10 1933 Double Eagles to Switt, a reclusive jeweler and coin dealer who, like so many in this story, believed the coins possessed talismanic powers. His only child, Joan Langbord, who worked with him until his death in 1990 at age 95, told the Philadelphia Inquirer that her father "could be obnoxious or irascible. If he didn't like you, he'd throw you out." His business philosophy, she said, was that "the customer was never right; he was always right."

"You must understand the Philadelphia thing," says Brahin. "I'm from there, so I can say this: The dealers were crafty, they would do anything to get an edge. If you don't know that, you don't have the right amount of cynicism to analyze the story."

In Switt's statement to the agents, his only official pronouncement about the coins, he said that he didn't have any records of where, when, or how he had obtained the Double Eagles. But he claimed that he did not buy them from any employees of the Mint.

Nonetheless, after a 10-month investigation, the Secret Service concluded that it was more likely than not that Switt was the fence for a corrupt Mint cashier. In 1945, the Justice Dept. wanted to press charges, but by then the statute of limitations had run out.

Seven years later, in 1952, King Farouk was deposed and sent into exile in Monaco. The generals leading the new Republic of Egypt decided to auction off his belongings, including his renowned gold coin collection. It contained 8,500 pieces; one was the 1933 Double Eagle. Sotheby's won the right to hold the auction in Cairo in February 1954. As soon as U.S. Treasury officials saw the catalog for the Palace Collection of Egypt, as it was called, they asked the Egyptians to pull the coin from the auction and return it to Washington. At the last minute, the Double Eagle in Lot 185 was withdrawn. Then it disappeare


*****

Google Translate


Como
é que uma família da Filadélfia se apossar de US $ 40 milhões em moedas
de ouro, e por que o Serviço Secreto foram persegui-los por 70 anos?


A moeda mais valiosa do mundo fica no lobby do Federal Reserve Bank of New York em Manhattan. É 18E Exhibit, obtido em uma caixa de vidro à prova de balas com um sistema de alarme e um guarda armado nas proximidades. O
Double Eagle 1933, considerada uma das moedas mais raras e belas na
América, tem um valor de face de US $ 20 e um valor de mercado de US $
7,6 milhões. Foi entre o último lote de moedas de ouro cunhadas sempre pelo governo dos EUA. As moedas nunca foram emitidas, a maioria do elenco quase 500.000 foram derretidos para ouro em 1937.


A maioria, mas não todos. Algumas das moedas saiu da Casa da Moeda da Filadélfia até então. Ninguém sabe ao certo exatamente como eles saíram ou mesmo quantas saiu. Os
EUA do Serviço Secreto, responsável por proteger a moeda da nação, tem
sido a persegui-los por quase 70 anos, a 13 Administrações e 12
diretores diferentes. A investigação se
estende por três continentes e envolveu alguns dos coleccionadores mais
famoso do mundo, um informante confidencial, um rei playboy, e uma
operação policial no Waldorf Astoria, em Manhattan. Ela inspirou dois romances, dois livros de não-ficção e um documentário de televisão. E
muito do que tem em torno de um negociante de moeda, morto desde 1990,
cuja loja ainda está aberta no sul da Filadélfia, dirigida por sua filha
de 82 anos de idade.

"A Double
Eagle 1933 é uma das moedas mais intrigantes de todos os tempos", diz
Jay Brahin, um consultor de investimentos que tem vindo a recolher as
moedas desde que ele era um garoto, na Filadélfia. "É
uma aberração. As moedas não deveria ter sido cunhadas, mas eles
estavam. Eles não foram feitos para circular, mas alguns fizeram. E por
que o governo perseguiu arduamente? Esse é um dos mistérios."

A história começa logo após a inauguração de Franklin Roosevelt em 4 de março de 1933, no meio da Grande Depressão. Milhares de bancos já tinham ido em como as pessoas entraram em pânico e retirou o seu ouro e outros depósitos. Como
o ouro de abastecimento de grande parte mantido no Federal Reserve Bank
of New York diminuiu, o país enfrentou possível insolvência. Em
05 de abril, Roosevelt emitiu a Ordem Executiva 6102, que proibia a
acumulação de ouro e os cidadãos obrigados a trocar moedas de ouro para
seu papel-moeda.

Era primo
distante de Roosevelt, Theodore, que tinha encomendado ao escultor
Augustus Saint-Gaudens para projetar um alto-relevo moeda de ouro $ 20
no início de 1900. Teddy Roosevelt queria
uma moeda americana que combinava com a beleza dos antigos gregos, e
Saint-Gaudens completou o trabalho pouco antes de sua morte por câncer
em 1907. De um lado está uma imagem da
Liberdade, uma figura que lembra uma deusa grega, cabelo ramo, fluindo
de oliveira na mão esquerda, lanterna em sua direita. Por outro, é uma águia em pleno vôo, o sol nascente por trás dele.

Casa da Moeda produziu o Eagles Saint-Gaudens casal quase todos os anos desde 1907, e 1933 não foi diferente. Em maio, como o recall de ouro estava em curso, a Casa da Moeda terminou pressionando 445.500 das moedas. Nenhum foram emitidas. Em
vez disso as moedas, pesando quase 15 toneladas, foram colocados em
sacos de lona 1780 e selado atrás de três portas de aço, na Filadélfia
Mint Vault F-Cage 1. Apenas dois foram pensados ​​para ter sido salvas, e eles foram enviados para o Smithsonian.

Em
janeiro de 1934, o Congresso aprovou a Gold Reserve Act, que permitiu
que o presidente de nacionalizar, de fato, o ouro mantido pelo Federal
Reserve e aumentar o preço de uma onça. Este, por sua vez desvalorizado o dólar, que era para estimular a economia conturbada. O diretor da Casa da Moeda, em seguida, ordenou que todas as moedas de ouro da nação para ser derretida em barras. As barras seria mantido no recém-construído Fort Knox. A
tarefa era enorme: Não foi até início de 1937 que a Casa da Moeda de
Filadélfia enviou o seu valor de US $ 50 milhões de moedas, incluindo o
1933 Eagles dupla, para o forno.

Em
torno deste tempo, um 41-year-old joalheiro de Filadélfia chamado
Israel Switt oferecidos vários 1.933 Eagles duplo para alguns dos mais
proeminentes negociantes de moeda e colecionadores do dia, de acordo com
documentos do Serviço Secreto desde públicas feitas. Switt vendeu um, agora Exhibit 18E, a um negociante do Texas que depois vendeu-o ao rei Farouk do Egito por 1.575 dólares. Um
representante real em os EUA solicitaram uma licença de exportação para
a moeda e, sem o conhecimento do Serviço Secreto, o secretário do
Tesouro emitiu um em 29 de fevereiro de 1944.

No mesmo mês, Stack, o negociante de moeda rara em Nova York, anunciou um leilão para outro Double Eagle. Não
foi até início de março, porém, que o Serviço Secreto ouviu falar sobre
a venda e percebeu que algumas das moedas haviam sido retirados da Casa
da Moeda. Duplo rei Farouk do Águia já havia sido entregue a ele no Cairo por mala diplomática. Agentes confiscaram a segunda moeda antes Stack poderia vendê-lo e lançou o inquérito, que continua até hoje. "O
governo tem sido fanático sobre apreensão e destruição dessas moedas",
diz Robert W. Hoge, curador de moedas da América do Norte e moeda na
Sociedade Americana de Numismática. "Eles são famosos porque o governo tem sido tomá-los desde os anos 1940."

A
primeira fase da investigação do Serviço Secreto faria o rastreio 10
1933 Eagles duplo para Switt, um joalheiro recluso e negociante de moeda
que, como tantos nesta história, acreditava que a moedas possuía
poderes talismã. Sua única filha, Joan
Langbord, que trabalhou com ele até sua morte em 1990 aos 95 anos, disse
ao Philadelphia Inquirer que seu pai "pode ​​ser desagradável ou
irascível. Se ele não gostar de você, ele jogá-lo fora." Sua filosofia de negócio, ela disse, foi que "o cliente nunca foi certo, ele estava sempre certo."

"Você deve entender a coisa da Filadélfia", diz Brahin. "Eu
sou de lá, para que eu possa dizer isto: Os traficantes foram astutos,
eles fariam qualquer coisa para obter uma vantagem Se você não sabe que,
você não tem a quantidade certa de cinismo para analisar a história.. "

Em
declaração Switt para os agentes, o seu pronunciamento oficial sobre
apenas as moedas, ele disse que não tinha nenhum registro de onde,
quando ou como ele obteve o Eagles casal. Mas ele afirmou que não comprá-los de todos os empregados da Casa da Moeda.

No
entanto, após uma investigação de 10 meses, o Serviço Secreto concluiu
que era mais provável que não era o que Switt cerca de um caixa Mint
corruptos. Em 1945, o Departamento de Justiça quis prestar queixa, mas até então o estatuto de limitações se esgotou.

Sete anos depois, em 1952, o rei Farouk foi deposto e enviado ao exílio em Mônaco. Os generais liderando a nova República do Egito decidiu leiloar seus pertences, incluindo sua coleção de renome moeda de ouro. Ele continha 8.500 peças; uma era de 1933 Double Eagle. Sotheby ganhou o direito de realizar o leilão no Cairo, em fevereiro de 1954. Assim
como os funcionários do Tesouro dos EUA viu o catálogo da Coleção
Palácio do Egito, como era chamado, eles pediram aos egípcios para puxar
a moeda do leilão e devolvê-la a Washington. No último minuto, a Double Eagle em Lote 185 foi retirada. Então disappeareListen
Read phonetically
Rate translation

Laughing Laughing Laughing




avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Qua Set 07, 2011 7:55 pm




Análise de rochas antigas reforça teoria
Ouro que se encontra na Terra poderá ter chovido do céu


O metal mais precioso, que existe nos anéis e nos brincos e continua a ser um valor seguro em tempos de crise, poderá ter vindo numa chuvada de meteoritos que alterou a proporção de vários metais na constituição da Terra, 200 milhões de anos depois da sua formação. Uma equipa de cientistas, ao analisar rochas muito antigas, descobriu sinais desta colisão. O estudo foi publicado nesta quarta-feira na edição online da revista Nature.

Há 30 anos surgiu a teoria de que este ouro veio numa chuvada de meteoritos – algo muito comum no início da história do planeta. Esta é a melhor forma de explicar a quantidade deste e de outros elementos que existem à superfície.

A Terra tem um núcleo metálico, feito sobretudo de ferro e níquel, que está coberto pelo manto rochoso, que por sua vez está coberto pela fina crosta que pisamos. Mas o material que se foi agregando há 4,5 mil milhões de anos, e que formou a Terra primitiva, não estava diferenciado. Isso foi acontecendo ao longo do tempo, com o ferro a viajar até ao centro, que transportou consigo outros elementos como o ouro ou a platina, que se ligam muito facilmente ao ferro. Se mais nada tivesse acontecido, o ouro que restaria no manto e na crosta seria muito menor do que o que se tem encontrado.

Matthias Willbold, da Universidade de Bristol, e os seus colegas autores do estudo foram testar esta teoria medindo o isótopo 182 do metal tungsténio em rochas da Gronelândia com quatro mil milhões de anos – estas rochas são um portal do tempo para a história geológica da Terra depois de a diferenciação ter terminado, mas antes da suposta chuvada de meteoritos ter acontecido.

Este isótopo 182 forma-se a partir de outro elemento que deixou de existir naquela altura. Se realmente milhões e milhões de toneladas de meteoritos tivessem caído, a variante do tungsténio iria diluir-se nas rochas terrestres formadas posteriormente. Por isso, à partida, os cientistas esperavam que o isótopo estivesse mais concentrado na rocha ancestral vinda da Gronelândia do que numa rocha formada numa altura mais recente.

Foi isso que o grupo confirmou: uma proporção de mais 15 partes por milhão do isótopo 182 nas rochas da Gronelândia do que nas rochas mais recentes, o que é um sinal forte de que uma chuva de meteoritos terá "enriquecido" a Terra. “O nosso trabalho mostra que os metais mais preciosos nos quais se baseia a nossa economia e processos industriais chave, foram adicionados ao nosso planeta por uma feliz coincidência quando a Terra foi atingida por 20 milhões de milhões de milhões de toneladas de material de asteróides”, disse em comunicado Willbold.


avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Kllüx em Qui Set 08, 2011 7:30 pm


Cassini da NASA orbiter snaps imagem inacreditável de Saturno


Sometimes reality is just as stunning as science fiction

Science fiction movies have spoiled us on high definition views of our planetary neighbors, but real-life photographs with equal jaw-dropping potential are exceedingly rare. That's what makes NASA's awe-inspiring snapshot of Saturn (hi-res version here) such a stunning piece of eye candy.
Taken by NASA's Cassini robotic orbiter, the shot was captured from the dark side of Saturn as the Sun's bright rays illuminated every piece of dust and debris circling the planet. Cassini has offered astronomers a never-before-seen look at Saturn and revealed more information about the planet than any craft before it. The craft has taken so many pictures of the ringed wonder that they were recently made into a short flyby film that looks like it was created by George Lucas rather than a robotic space explorer.
The Cassini probe was launched in 1997 and took a further 7 years to reach Saturn's orbit. The total cost of its overarching objective of studying the ringed planet stands at a staggering $3.26 billion. However, the wealth of information it has wrought — including amazing pictures like the one above, and recordings of massive lightning storms on the planet — have already made it one of the best investments in space exploration. Hopefully Juno — which began a 5-year trek to Jupiter just last month — will bring us some equally stunning shots of Saturn's neighbor.

avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 100 OBSESSÃO...Magazine

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 22 de 25 Anterior  1 ... 12 ... 21, 22, 23, 24, 25  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum