POESIA ERÓTICA...

Página 1 de 4 1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

POESIA ERÓTICA...

Mensagem por Anarca em Ter Mar 24, 2009 9:40 pm



Andava a lua nos céus
Com o seu bando de estrelas

Na minha alcova
Ardiam velas
Em candelabros de bronza

Pelo chão em desalinho
Os veludos pareciam
Ondas de sangue e ondas de vinho

Ele, olhava-me cismando;
E eu,
Plácidamente, fumava,
Vendo a lua branca e nua
Que pelos céus caminhava.

Aproximou-se; e em delírio
Procurou avidamente
E avidamente beijou
A minha boca de cravo
Que a beijar se recusou.

Arrastou-me para ele,
E encostado ao meu hombro
Falou-me de um pagem loiro
Que morrera de saudade
À beira-mar, a cantar...

Olhei o céu!

Agora, a lua, fugia,
Entre nuvens que tornavam
A inda noite sombria.

Deram-se as bocas num beijo,
Um beijo nervoso e lento...
O homem cede ao desejo
Como a nuvem cede ao vento

Vinha longe a madrugada.

Por fim,
Largando esse corpo
Que adormecera cansado
E que eu beijara, loucamente,
Sem sentir,
Bebia vinho, perdidamente
Bebia vinha..., até cair.

(António Botto)


Última edição por Anarca em Sex Jul 03, 2009 9:14 pm, editado 2 vez(es)

Anarca
Admin

Pontos: 1203

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por Anarca em Ter Mar 24, 2009 9:47 pm

Amar dentro do peito uma donzela;
Jurar-lhe pelos céus a fé mais pura;
Falar-lhe, conseguindo alta ventura,
Depois da meia-noite na janela:

Fazê-la vir abaixo, e com cautela
Sentir abrir a porta, que murmura;
Entrar pé ante pé, e com ternura
Apertá-la nos braços casta e bela:

Beijar-lhe os vergonhosos, lindos olhos,
E a boca, com prazer o mais jucundo,
Apalpar-lhe de leve os dois pimpolhos:

Vê-la rendida enfim a Amor fecundo;
Ditoso levantar-lhe os brancos folhos;
É este o maior gosto que há no mundo.


(Manuel Maria Barbosa du Bocage)

Anarca
Admin

Pontos: 1203

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por Anarca em Ter Mar 24, 2009 9:51 pm

Eu que a levei ao rio,
pensando que era donzela,
porém tinha marido.

Foi na noite de Santiago
e quase por compromisso.
Apagaram-se os lampiões
e acenderam-se os grilos.
Nas últimas esquinas
toquei seus peitos dormidos,
e se abriram prontamente
como ramos de jacintos.
A goma de sua anágua
soava em meu ouvido
como uma peça de seda
rasgada por dez punhais.
Sem luz de prata em suas copas
as árvores estão crescidas,
e um horizonte de cães
ladra mui longe do rio.

Passadas as sarçamoras,
os juncos e os espinhos,
debaixo de seus cabelos
fiz uma cova sobre o limo.
Eu tirei a gravata.
Ela tirou o vestido.
Eu, o cinturão com revólver.
Ela, seus quatro corpetes.
Nem nardos nem caracóis
têm uma cútis tão fina,
nem os cristais com lua
reluzem com esse brilho.
Suas coxas me escapavam
como peixes surpreendidos,
a metade cheias de lume,
a metade cheias de frio.
Aquela noite corri
o melhor dos caminhos,
montado em potra de nácar
sem bridas e sem estribos.
Não quero dizer, por homem,
as coisas que ela me disse.
A luz do entendimento
me faz ser mui comedido.
Suja de beijos e areia,
eu a levei do rio.
Com o ar se batiam
as espadas dos lírios.

Portei-me como quem sou.
Como um cigano legítimo.
Dei-lhe um estojo de costura,
grande, de liso palhiço,
e não quis enamorar-me
porque tendo marido
me disse que era donzela
quando a levava ao rio.

(Federico García Lorca)

Anarca
Admin

Pontos: 1203

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por Anarca em Qua Mar 25, 2009 10:18 am


(O que se passa na cama
é segredo de quem ama.)

É segredo de quem ama
não conhecer pela rama
gozo que seja profundo,
elaborado na terra
e tão fora deste mundo
que o corpo, encontrando o corpo
e por ele navegando,
atinge a paz de outro horto,
noutro mundo: paz de morto,
nirvana, sono do pênis.

Ai, cama canção de cuna,
dorme, menina, nanana,
dorme onça suçuarana,
dorme cândida vagina,
dorme a última sirena
ou a penúltima? O pênis
dorme, puma, americana
fera exausta. Dorme, fulva
grinalda de tua vulva.

E silenciem os que amam,
entre lençol e cortina
ainda úmidos de sêmen,
estes segredos de cama.

(Carlos Drummond de Andrade)

Anarca
Admin

Pontos: 1203

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por Anarca em Qua Mar 25, 2009 11:06 am

A biciclete

MOTE

Meu amor já veio de França,
Trouxe-me uma biciclete;
Ele diz que aquilo cansa,
Mas também não paga frete.

GLOSAS

No dia em que ele chegou
foi ao meu sítio passear,
P'ra me ver e p'ra mostrar
A lembrança que comprou.
Quando em minha casa entrou,
Eu vi a linda lembrança,
E assim me nasceu a esperança
De andar naquilo também...
Fui dizer à minha mãe:
Meu amor já veio de França.

"Se queres. monto-te agora..."
Montou-me, mas foi agoiro,
Aquilo deu logo um estoiro.
Ele disse: "Não demora."
Tirou a coisa p'ra fora,
Que noutra coisa se mete.
Deu seis sacadas ou sete,
E logo a roda se encheu.
Enfim, para andar mais eu
Trouxe-me uma biciclete...

Às vezes manda-me pôr
No quadro, à frente, e abala.
Depois é ele que pedala,
Mas entrega-me o guiador.
Já tenho dito: "Ai, amor,
Com que força isto avança."
Gosto de andar nesta dança,
Pois não pedalo, nem nada;
Eu vou muito descançada,
Ele diz que aquilo cansa.

Na velocidade, murmuro,
Digo: "Ai, amor, vou p'rò céu...
Vê-lá se rompe algum pneu,
Conta amor com algum furo..."
Diz ele: "O pneu está duro,
Só um prego que se espete,
Ou alguma camionete
Que não buzine, nem toque."
Sujeita-se a gente ao choque,
Mas também não paga frete!

(António Aleixo)

Anarca
Admin

Pontos: 1203

Voltar ao Topo Ir em baixo

POESIA DE ANDAIME

Mensagem por BUFFA General Aladeen em Qua Mar 25, 2009 11:33 am

Capítulo 1


A rima rica

Os primeiros dados à nossa disposição sobre o surgimento da rima na poesia ocidental remontam a origens semíticas que segundo Paul Klopsch podem ser datadas de 250 d.C. aproximadamente. Já Comodiano de Gaza, poeta cristão do século III, compunha as suas obras em hexâmetros, não imitando os padrões clássicos de acentuação quantitativa. A poesia cristã, com o seu objectivo primordial didático-encomiástico, servia-se então do latim para a expressão de “boas novas” com um novo artifício de expressão estética para os ditos poéticos.

Recorrendo então a uma das figuras de estilo mais enraizadas nas obras poéticas, a rima, pedreiros, marceneiros, trolhas e carpinteiros deambulam pelos versos desta vida com declarações de desejo e paixão.


1. Ó flôr dá para pôr?
2. Ó musa dás-me tusa.
3. Ó bomboca, mostra a toca?
4. Ó doce, era onde fosse.
5. Ó beleza, deixas-ma tesa.
6. Ó boneca, vai uma queca?



[Somente administradores podem ver esta imagem]


Última edição por BIFA em Qua Mar 25, 2009 9:56 pm, editado 1 vez(es)

BUFFA General Aladeen

Pontos: 4887

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por Anarca em Qua Mar 25, 2009 3:16 pm

Aula de amor

Mas, menina, vai com calma
Mais sedução nesse grasne:
Carnalmente eu amo a alma
E com alma eu amo a carne.

Faminto, me queria eu cheio
Não morra o cio com pudor
Amo virtude com traseiro
E no traseiro virtude pôr.

Muita menina sentiu perigo
Desde que o deus no cisne entrou
Foi com gosto ela ao castigo:
O canto do cisne ele não perdoou.

(Bertolt Brecht)

Anarca
Admin

Pontos: 1203

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por Anarca em Qua Mar 25, 2009 3:18 pm


Uma mulher

Uma mulher caminha nua pelo quarto
é lenta como a luz daquela estrela
é tão secreta uma mulher que ao vê-la
nua no quarto pouco se sabe dela

a cor da pele, dos pêlos, o cabelo
o modo de pisar, algumas marcas
a curva arredondada de suas ancas
a parte onde a carne é mais branca

uma mulher é feita de mistérios
tudo se esconde: os sonhos, as axilas,
a vagina
ela envelhece e esconde uma menina
que permanece onde ela está agora

o homem que descobre uma mulher
será sempre o primeiro a ver a aurora.

(Bruna Lombardi)

Anarca
Admin

Pontos: 1203

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por Anarca em Qua Mar 25, 2009 3:20 pm


É quando estás de joelhos...

É quando estás de joelhos
que és toda bicho da Terra
toda fulgente de pêlos
toda brotada de trevas
toda pesada nos beiços
de um barro que nunca seca
nem no cântico dos seios
nem no soluço das pernas
toda raízes nos dedos
nas unhas toda silvestre
nos olhos toda nascente
no ventre toda floresta
em tudo toda segredo
se de joelhos me entregas
sempre que estás de joelhos
todos os frutos da Terra.

(David Mourão Ferreira)

Anarca
Admin

Pontos: 1203

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por Anarca em Qua Mar 25, 2009 3:24 pm


Bolero do coronel sensível que fez amor em Monsanto

Eu que me comovo
Por tudo e por nada
Deixei-te parada
Na berma da estrada
Usei o teu corpo
Paguei o teu preço
Esqueci o teu nome
Limpei-me com o lenço
Olhei-te a cintura
De pé no alcatrão
Levantei-te as saias
Deitei-te no banco
Num bosque de faias
De mala na mão
Nem sequer falaste
Nem sequer beijaste
Nem sequer gemeste,
Mordeste, abraçaste
Quinhentos escudos
Foi o que disseste
Tinhas quinze anos
Dezasseis, dezassete
Cheiravas a mato
À sopa dos pobres
A infância sem quarto
A suor, a chiclete
Saíste do carro
Alisando a blusa
Espiei da janela
Rosto de aguarela
Coxa em semifusa
Soltei o travão
Voltei para casa
De chaves na mão
Sobrancelha em asa
Disse: fiz serão
Ao filho e à mulher
Repeti a fruta
Acabei a ceia
Larguei o talher
Estendi-me na cama
De ouvido à escuta
E perna cruzada
Que de olhos em chama
Só tinha na ideia
Teu corpo parado
Na berma da estrada
Eu que me comovo
Por tudo e por nada

(Lobo Antunes)

Anarca
Admin

Pontos: 1203

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por BUFFA General Aladeen em Qua Mar 25, 2009 3:52 pm

o título do tópico está omisso


Poesia Erótica .... e de Andaime



sempre é mais interessante este tópico do que aqueles copy paste's, três vezes ao dia, que saiem dos blogues da "clientela" socialista. Tipo voz do dono ....



I rest my case !

BUFFA General Aladeen

Pontos: 4887

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por BUFFA General Aladeen em Qua Mar 25, 2009 4:06 pm

[Somente administradores podem ver este link]

BUFFA General Aladeen

Pontos: 4887

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por Kllüx em Qua Mar 25, 2009 4:22 pm

Ó BUFA, temos k konvidar o Tribunus para irmos ver o:
2009 USA/Canada tour






[Somente administradores podem ver esta imagem]




Mark
your calendars—André’s coming back! In April, André Rieu and the Johann
Straus Orcestra kick off their North American tour. Don’t miss André as
he crosses the continent, filling night after night with breath-taking
music. The tour will open in Toronto and go on to play an unforgettable
new show in thirty-five cities across Canada and the United States.
Along the way, there will be once-in-a-lifetime evenings in San Diego
and Salt Lake City where André will perform beneath the stars. Indoors,
his music will fill stunning modern venues such as the Prudential
Center in Newark, NJ and the Citizen Business Bank Arena in Ontario, CA.

Nada k se kompare ku tchaikovsky, ma s arrrrrrrredeia....Jeje®† Very Happy

Kllüx

Pontos: 10656

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por BUFFA General Aladeen em Qua Mar 25, 2009 4:27 pm

Fúria® escreveu:Ó BUFA, temos k konvidar o Tribunus para irmos ver o:
2009 USA/Canada tour






[Somente administradores podem ver esta imagem]




Mark
your calendars—André’s coming back! In April, André Rieu and the Johann
Straus Orcestra kick off their North American tour. Don’t miss André as
he crosses the continent, filling night after night with breath-taking
music. The tour will open in Toronto and go on to play an unforgettable
new show in thirty-five cities across Canada and the United States.
Along the way, there will be once-in-a-lifetime evenings in San Diego
and Salt Lake City where André will perform beneath the stars. Indoors,
his music will fill stunning modern venues such as the Prudential
Center in Newark, NJ and the Citizen Business Bank Arena in Ontario, CA.

Nada k se kompare ku tchaikovsky, ma s arrrrrrrredeia....Jeje®† Very Happy


em videoconferência tudo é possível.

Why not ?


O Lagostas fica fora do baralho, até porque ele só gosta de Roberto Carlos.

Ah !!!


O cascavel também vai. Ele adora André Rieu. creio.

BUFFA General Aladeen

Pontos: 4887

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por Kllüx em Qua Mar 25, 2009 4:30 pm

[Somente administradores podem ver este link]

Laughing Laughing Laughing Laughing Laughing Laughing Laughing Laughing Laughing Laughing Laughing Laughing Laughing

Kllüx

Pontos: 10656

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por BUFFA General Aladeen em Qua Mar 25, 2009 4:39 pm

Gosto muito Fúria, apesar de eu ser uma bufa reles e ordinária. Very Happy Very Happy também sei apreciar música clássica ...

Sabe que eu tenho um tio na Família que é Pintor e que fez um desenho a carvão de Beethoven que é qualquer coisa de fenomenal.

Esse desenho estava na mão do (saudoso) Mestre e Amigo Augusto Cabrita, Fotógrafo ..


enfim histórias....


bonita sim, ..... esta música.

BUFFA General Aladeen

Pontos: 4887

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por Anarca em Qua Mar 25, 2009 4:50 pm


Inédito

Nunca te foram ao cu
Nem nas perninhas, aposto!
Mas um homem como tu,
Lavadinho , todo nu, gosto!

Sem ter pentelho nenhum
com certeza, não desgosto,
Até gosto!
Mas... gosto mais de fedelhos.

Vou-lhes ao cu
Dou-lhes conselhos,
Enfim... gosto!

(António Botto)

Anarca
Admin

Pontos: 1203

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por Anarca em Qua Mar 25, 2009 4:51 pm

Sob o chuveiro amar

Sob o chuveiro amar, sabão e beijos,
ou na banheira amar, de água vestidos,
amor escorregante, foge, prende-se,
torna a fugir, água nos olhos, bocas,
dança, navegação, mergulho, chuva,
essa espuma nos ventres, a brancura
triangular do sexo -- é água, esperma,
é amor se esvaindo, ou nos tornamos fontes?

(Carlos Drummond de Andrade)

Anarca
Admin

Pontos: 1203

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por Anarca em Qua Mar 25, 2009 4:55 pm

Dá a surpresa de ser

Dá a surpresa de ser.
É alta, de um louro escuro,
faz bem só pensar em ver
seu corpo meio maduro.

Seus seios altos parecem
(se ela estivesse deitada)
dois montinhos que amanhecem
sem ter que haver madrugada.

E a mão do seu braço branco
assenta em palmo espalhado
sobre a saliência do flanco
do seu relevo tapado.

Apetece como um barco.
Tem qualquer coisa de gnomo.
Meu Deus, qusndo é que eu embarco?
Ó fome, quando é que eu como?

(Fernando Pessoa)



Anarca
Admin

Pontos: 1203

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por BUFFA General Aladeen em Qua Mar 25, 2009 4:57 pm

Anarca escreveu:
Vou-lhes ao cu
Dou-lhes conselhos,
Enfim... gosto!

(António Botto)


ás vezes é o que dá vontade.

BUFFA General Aladeen

Pontos: 4887

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por Anarca em Qua Mar 25, 2009 9:22 pm

O Pincel

MOTE

Fui uma noite pintar
Com um caneco emprestado;
Eu pintei sem reparar,
Pintei e fiquei pintado.

GLOSAS

Eu comecei com jeitinho
A compor o ramalhete;
Primeiro foi com azeite
E depois foi com cuspinho.
No começo era estreitinho,
Custava o pincel a entrar...
Começa a dona a gritar:
"Não me parta a tigelinha",
Mas que coisa engraçadinha,
Fui uma noite pintar...

Comecei devagarinho...
Quando fui ao outro mundo
Meti o pincel ao fundo
E parti o canequinho.
Até mesmo o pincelinho
Veio de lá todo pintado,
Eu já estava desmaiado,
Perdendo as cores do rosto;
Mas pintei com muito gosto
Com um caneco emprestado.

Vem a mãe toda zangada:
"Tem que pagar-me a vasilha...
No caneco da minha filha
Não pinta você mais nada...
...Lá isto, a moça deitada,
Sem poder levantar-se,
Com tanta tinta a pingar
No lugar da rachadela!..."
"Diga lá, que desculpe ela,
Eu pintei sem reparar!"...

P'ra que vejam que sou pintor
E meu pincel nunca deixo;
P'ra que saibam que o Aleixo
Não é somente cantor...
Também pinto qualquer flor
E faço qualquer bordado;
Mas aqui o ano passado,
Perdi, de pintar, o tino...
Fui pintar, fiz um menino,
Pintei e fiquei pintado.


(António Aleixo)

Anarca
Admin

Pontos: 1203

Voltar ao Topo Ir em baixo

POESIA DE ANDAIME

Mensagem por BUFFA General Aladeen em Qua Mar 25, 2009 9:53 pm

Capítulo 2

O trocadilho

O trocadilho resulta de uma semelhança formal entre dois enunciados sendo um deles, muitas vezes, elíptico. Semelhança que pode chegar à identidade. Alguns trocadilhos relacionam uma paráfrase com o seu parafraseado. O trocadilho pode ser intencional ou acidental, como ocorre na cacofonia. Há trocadilhos com intenção crítica, na qual se deseja transferir para um enunciado o suscitado pelo outro ou aqueles em que o efeito resulta da relação que medeia os dois enunciados. No exemplo do trocadilho do Barão de Itararé: “Adeus, Pátria e Família” o cómico resulta da relação de oposição extrema entre a paráfrase e o parafraseado.

Parte da secular tradição oral portuguesa, com raízes nas antigas cantigas de escárnio e nas sátiras de Pêro Rodrigues, o trocadilho é um refúgio artístico profícuo na fina arte de bem trovar.


7. És como um helicóptero: gira e boa.
8. Ó fêvera, junta-te aqui à brasa.
9. Ó jóia, anda aqui ao ourives.
10. Ó “morcona”, comia-te o sufixo.
11. Ó filha, aperta aqui que é mais fofo.
12. Ó jeitosa, és mais apertadinha que os rebites de um submarino.
13. Andas na tropa? É que marchavas que era uma maravilha.
14. Se fosses um barco pirata, comia-te o tesouro que tens entre as pernas.
15. Tantas curvas e eu sem travões.
16. Usas cuecas TMN? É que tens um rabinho que é um mimo.
17. A tua mãe só pode ser uma ostra para cuspir uma pérola como tu.
18. Tens um cu que parece uma cebola, é de comer e chorar por mais.
19. Só queria que fosses uma pastilha elástica para te comer o dia todo.
20. Tanta carne boa e eu em jejum.
21. Se o teu cu fosse um banco, fazia uma poupança a taxa fixa.
22. Ó filha, agora já percebo porque é que tenho a talocha nas mãos.
23. Belas pernas, a que horas abrem?
24. A ti não te custava nada e a mim sabia-me tão bem.
25. Até davas uma boa actriz mas és muito melhor atrás.




[Somente administradores podem ver esta imagem]

BUFFA General Aladeen

Pontos: 4887

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por BUFFA General Aladeen em Qua Mar 25, 2009 10:01 pm

[Somente administradores podem ver este link]

BUFFA General Aladeen

Pontos: 4887

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por Anarca em Qui Mar 26, 2009 11:01 am


Se tu viesses ver-me hoje à tardinha

Se tu viesses ver-me hoje à tardinha,
A essa hora dos mágicos cansaços,
Quando a noite de manso se avizinha,
E me prendesses toda nos teus barcos...

Quando me lembra: esse sabor que tinha
A tua boca... o eco dos teus passos...
O teu riso de fonte... os teus abraços...
Os teus beijos... a tua mão na minha...

Se tu viesses quando, linda e louca,
Traça as linhas dulcíssimas dum beijo
E é de seda vermelha e canta e ri

E é como um cravo ao sol a minha boca...
Quando os olhos se me cerram de desejo...
E os meus braços se estendem para ti...

(Florbela Espanca)

Anarca
Admin

Pontos: 1203

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por Anarca em Qui Mar 26, 2009 3:36 pm

As Metamorfoses do Vampiro

E no entanto a mulher, com lábios de framboesa
Coleando qual serpente ao pé da lenha acesa,
E o seio a comprimir sob o aço do espartilho,
Dizia, a voz imersa em bálsamo e tomilho:
- "A boca úmida eu tenho e trago em mim a ciência
De no fundo de um leito afogar a consciência.
As lágrimas eu seco em meios seios triunfantes,
E os velhos faço rir com o riso dos infantes.
Sou como, a quem me vê sem véus a imagem nua,
As estrelas, o sol, o firmamento e a lua!
Tão douta na volúpia eu sou, queridos sábios,
Quando um homem sufoco à borda de meus lábios,
Ou quando os seio oferto ao dente que o mordisca,
Ingênua ou libertina, apática ou arisca,
Que sobre tais coxins macios e envolventes
Perder-se-iam por mim os anjos impotentes!"

Quando após me sugar dos ossos a medula,
Para ela me voltei já lânguido e sem gula
À procura de um beijo, uma outra eu vi então
Em cujo ventre o pus se unia à podridão!

Os dois olhos fechei em trêmula agonia,
E ao reabri-los depois, à plena luz do dia,
Ao meu lado, em lugar do manequim altivo,
No qual julguei ter visto a cor do sangue vivo,
Pendiam do esqueleto uns farrapos poeirentos,
Cujo grito lembrava a voz dos cata-ventos
Ou de uma tabuleta à ponta de uma lança,
Que nas noites de inverno ao vento se balança.

(Charles Baudelaire - Poemas malditos)

Anarca
Admin

Pontos: 1203

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por BUFFA General Aladeen em Qui Mar 26, 2009 3:40 pm

[Somente administradores podem ver este link]

BUFFA General Aladeen

Pontos: 4887

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por Anarca em Qui Mar 26, 2009 8:09 pm

A mulher que passa

Meu Deus, eu quero a mulher que passa.
Seu dorso frio é um campo de lírios
Tem sete cores nos seus cabelos
Sete esperanças na boca fresca!

Oh! Como és linda, mulher que passas
Que me sacias e suplicias
Dentro das noites, dentro dos dias!

Teus sentimentos são poesia
Teus sofrimentos, melancolia.
Teus pêlos são relva boa
Fresca e macia.
Teus belos braços são cisnes mansos
Longe das vozes da ventania.

Meu Deus, eu quero a mulher que passa!

Como te adoro, mulher que passas
Que vens e passas, que me sacias
Dentro das noites, dentro dos dias!
Por que me faltas, se te procuro?
Por que me odeias quando te juro
Que te perdia se me encontravas
E me encontravas se te perdias?

Por que não voltas, mulher que passas?
Por que não enches a minha vida?
Por que não voltas, mulher querida
Sempre perdida, nunca encontrada?
Por que não voltas à minha vida
Para o que sofro não ser desgraça?

Meu Deus, eu quero a mulher que passa!
Eu quero-a agora, sem mais demora
A minha amada mulher que passa!

No santo nome do teu martírio
Do teu martírio que nunca cessa
Meu Deus, eu quero, quero depressa
A minha amada mulher que passa!

Que fica e passa, que pacifica
Que é tanto pura como devassa
Que bóia leve como cortiça
E tem raízes como a fumaça.


(Vinicius de Moraes)

Anarca
Admin

Pontos: 1203

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por Anarca em Sex Mar 27, 2009 10:54 am

A Torre de Babel ou a porra do Soriano

Eu canto do Soriano o singular mangalho!
Empresa colossal! Ciclópico trabalho!
Para o cantar inteiro e para o cantar bem
precisava viver como Matusalém.
Dez séculos!

Enfim, nesta pobreza métrica
cantemos essa porra, porra quilométrica,
donde pendem colhões que idéia vaga
das nádegas brutais do Arcebispo de Braga.

Sim, cantemos a porra, o Carvalho iracundo
que, antes de nervo cru, já foi eixo do Mundo!
Mastro de Leviathan! Iminência revel!
Estando murcho foi a Torre de Babel
Carvalho singular! É contemplá-lo
É vê-lo teso!
Atravessaria o quê?
O sete estrelo!!

Em Tebas, em Paris, em Lagos, em Gomorra
juro que ninguém viu tão formidável porra
É uma porra, arquiporra!
É um caralhão atroz
que se lhe podem dar trinta ou quarenta nós
e, ainda assim, fica o Carvalho preciso
para cozer a Terra, Eva no Paraíso!!

É uma porra infinita, é um Carvalho insone
que nas roscas outrora estrangulou Laoccoonte.

Oh, Carvalho imortal! Oh glória destes lusos!
Tu podias suprir todos os parafusos
que espremem com vigor os cachos do Alto Douro!
Onde é que há um abismo, onde há um sorvedouro
que assim possa conter esta porra do diabo??!
O Marquês de Valadas em vão mostra o rabo,
em vão mostra o fundo o pavoroso Oceano!
? Nada, nada contém a porra do Soriano!!

Quando morrer, Senhor, que extraordinária cova,
que bainha, meu Deus, para esta porra nova,
esta porra infeliz, esta porra precita,
judia errante atrás duma crica infinita??

? Uma fenda do globo, um sorvedouro ignoto
que lhe dá de abrir talvez um dia um terramoto
para que deságüe, esta porra medonha,
em grossos borbotões de clerical langolha!!!

A porra do Soriano, é um infinito assunto!
Se ela está em Lisboa ou em Coimbra, pergunto?
Onde é que ela começa?
Onde é que ela termina
essa porra, que estando em Braga, está na China,
porra que corre mais que o próprio pensamento
que porra de pardal e porra de jumento??
Porra!

Mil vezes porra!
Porra de bruto
que é capaz de cozer o Cosmo num minuto!!

(Guerra Junqueiro)

Anarca
Admin

Pontos: 1203

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por Anarca em Sex Mar 27, 2009 10:59 am

O amor e a morte

Canção cruel

Corpo de ânsia.
Eu sonhei que te prostava,
E te enleava
Aos meus músculos!

Olhos de êxtase,
Eu sonhei que em vós bebia
Melancolia
De há séculos!

Boca sôfrega,
Rosa brava
Eu sonhei que te esfolhava
Petala a pétala!

Seios rígidos,
Eu sonhei que vos mordia
Até que sentia
Vómitos!

Ventre de mármore,
Eu sonhei que te sugava,
E esgotava
Como a um cálice!

Pernas de estátua,
Eu sonhei que vos abria,
Na fantasia,
Como pórticos!

Pés de sílfide,
Eu sonhei que vos queimava
Na lava
Destas mãos ávidas!

Corpo de ânsia,
Flor de volúpia sem lei!
Não te apagues, sonho! mata-me
Como eu sonhei.

(José Régio)

Anarca
Admin

Pontos: 1203

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: POESIA ERÓTICA...

Mensagem por BUFFA General Aladeen em Sex Mar 27, 2009 6:58 pm

[Somente administradores podem ver este link]

BUFFA General Aladeen

Pontos: 4887

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 4 1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum