Stefan Zweig - Carta de uma Desconhecida

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Stefan Zweig - Carta de uma Desconhecida

Mensagem por Vitor mango em Qui Abr 02, 2009 5:59 am

Stefan Zweig - Carta de uma Desconhecida
Stefan Zweig, escritor austríaco de renome mundial, caíra no esquecimento.

Há em muitas das estantes das famílias dos anos quarenta livros seus: Amok, a história do louco da Malásia, Vinte e Quatro Horas na Vida de uma Mulher, O Jogador, bem como as várias biografias que escreveu: Fouché, o chefe da polícia francesa, Maria Antonieta, Fernão de Magalhães, tantos outros.

A sua trágica morte, por suicídio conjunto com a mulher, no Brasil, país a que se acolhera, refugiado do nazismo, impressionou indelevelmente as consciências.

Zweig está a regressar, porque a boa Literatura é intemporal e porque na sua narrativa está presente não o mundo de ontem mas o homem de sempre.

Carta de uma desconhecida é um dos seus escritos de juventude, mas já se pressente nele a mestria de um grande escritor.

O leitor contemporâneo, ao ter ante si estas linhas, terá que vencer a relutância natural que nos dias de hoje se gerou quanto às histórias sentimentais. Trata-se de uma carta escrita por uma mulher, tendo por companhia o corpo do filho morto, ao homem a quem se dedicou em «veneração apaixonada».

A carga dramática e o paroxismo na dor só a percebe quem tenha sabido conviver com a vulgaridade medíocre de todas as ridículas cartas de amor.


«(…) por isso fiquei tão feliz quando soube que tinha uma criança tua, por isso não te disse nada: afinal agora já não podias escapar-me», escreve a personagem, na página 44. Uma mulher entende isto no seu íntimo, um homem compreende-o no seu intelecto se souber sentir o que é uma mulher.»

A tradução, aqui e além questionável, é da autoria de Fernando Ribeiro, professor de Literatura alemã da Universidade Nova de Lisboa.

*texto de omeg*

Editor: Esfera dos Livros (2008 )

24 horas na vida de uma mulher

Da mesma editora (2008) a obra de referência de Stefan Zweig, igualmente disponível no Espaço de Memória-Pátio de Letras.
avatar
Vitor mango

Pontos : 108830

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stefan Zweig - Carta de uma Desconhecida

Mensagem por Vitor mango em Qui Abr 02, 2009 6:05 am

Digamos que o Stefan foi em contos um dos varios autores que me mexei nos miolos
24 horas de vida de uma mulher ..é um relato impressionante de uma carta dirigida a um amante desconhecido qu8e ele nem sabia que estava por ali
Depois o Jogo
Mas hya outro que me escapa de dois vizinhos que nao se podiam ver
havia molho todo o santo dia para consolo das duas almas que faziam do amor odio uma convivencia
uma especie de luta inter Ronaldo e varios vagueandos
Tudso termina quando um dos dois morre ...e o Viuvo (o) ja sem poder descarregar a adelina sentiu-se vazio e só ...o que aconteceu ja nem me lembro

mas lembro-me de um rabino que teve o mesmo problema com dois vizinhos que nao se gramavam
e ele arranjou soluçao
mandou colocar no corredor um bode malcheiroso
E a partir daí os dois juntaram-se para limpar o bode daquelas bandas

No vagueando tambem ha um ou dois bodes que dao uma certa luta ...confesso
A DF nao é propriamente um bode mas boda que se diverte tranvestindo-se das mais retoricas figuras

Como sei só pelo cheiro o odor de bode confesso que me divirto about
avatar
Vitor mango

Pontos : 108830

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stefan Zweig - Carta de uma Desconhecida

Mensagem por Vitor mango em Qui Abr 02, 2009 6:06 am

mas lembro-me de um rabino que teve o mesmo problema com dois vizinhos que nao se gramavam
e ele arranjou soluçao
mandou colocar no corredor um bode malcheiroso
E a partir daí os dois juntaram-se para limpar o bode daquelas bandas
avatar
Vitor mango

Pontos : 108830

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stefan Zweig - Carta de uma Desconhecida

Mensagem por Vitor mango em Qui Set 11, 2014 5:29 am

amen

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ
avatar
Vitor mango

Pontos : 108830

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stefan Zweig - Carta de uma Desconhecida

Mensagem por Vitor mango em Sex Nov 21, 2014 2:27 am

amen

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ
avatar
Vitor mango

Pontos : 108830

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stefan Zweig - Carta de uma Desconhecida

Mensagem por Vagueante em Sab Nov 22, 2014 9:43 am

Stefan Zweig

Há mais de 50 anos, quando não tinha dinheiro para comprar livros, havia as bibliotecas itinerantes da Gulbenkian que estacionavam regularmente em vários locais do país e aí, aproveitava para alugar alguns livros cuja devolução se fazia na semana seguinte ou na próxima estadia da biblioteca.
Encontrando-me em Tavira, a prestar serviço militar, aluguei o livro FERNÃO DE MAGALHÃES do autor, que me deu uma imagem muito interessante da história da primeira circunvalação da terra.
Nessa história se contava das dificuldades de tal empresa e daqueles que foram pendurados nos mastros dos navios para debelar as revoltas dos marinheiros que queriam regressar devido às dificuldades encontradas antes de atingirem o Pacífico.
Quem esteve ameaçado de também ser pendurado num mastro, foi aquele que é considerado em Espanha como o grande herói que deu a primeira volta ao mundo ou seja Sebastião Del Cano.
Como é conhecido de todos, uma das doenças que atacavam os marinheiros que se aventuravam no mar nessa época, era o ESCORBUTO.
Foi o escorbuto a causa de muitas revoltas em navios espanhóis que faziam parte dessa expedição.
Pois bem. Recentemente, integrado num grupo cultural de que sou sócio,fiz uma visita à fragata D. Fernando II e Glória aonde funciona actualmente um museu de marinha e fui acompanhado pelo último comandante desse navio que nos contou que nos navios espanhóis a doença grassava atacando muitos marinheiros que por essa razão se revoltavam ou faziam revoltar a restante tripulação. Tal não acontecia nos navios portugueses não se sabendo qual a razão porque os portugueses não tinham escorbuto. Sabe-se agora, que tal se devia ao facto de os portugueses caçarem ratazanas que comiam como petisco e que as ratazanas são imunes ao escorbuto e que portanto, funcionavam como uma espécie de vacina.

Vagueante

Pontos : 1698

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stefan Zweig - Carta de uma Desconhecida

Mensagem por Vitor mango em Sab Nov 22, 2014 12:26 pm

Laranjas amigo Vagueante ...e fomos nós a descobrir a cura do mal depois dos holandeses comerem cebolas ...se as ratas ou ratos terem a tal Vitamina desconheço

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ
avatar
Vitor mango

Pontos : 108830

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Stefan Zweig - Carta de uma Desconhecida

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum