Vagueando na Notícia


Participe do fórum, é rápido e fácil

Vagueando na Notícia
Vagueando na Notícia
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.

Malásia

Ir para baixo

Malásia Empty Malásia

Mensagem por Joao Ruiz Qui Jul 07, 2011 5:17 am

.
Libertadas crianças sequestradas em jardim-de-infância

por Lusa
Hoje

A polícia malaia anunciou ter libertado hoje as 30 crianças e quatro professores sequestrados durante sete horas num jardim de infância em Johor, estado do sul da Malásia, e que o sequestrador foi capturado.

"A tomada de reféns terminou. As crianças e os professores estão sãos e salvos", informou a polícia.

O sequestrador, armado com um martelo e um machete, ficou ferido durante o assalto da polícia e foi conduzido para o hospital, indicou um responsável da polícia.

A operação da polícia começou às 15:45 locais (8:45 em Lisboa), quase sete horas depois do início do sequestro, com o lançamento de gases lacrimogéneos para o interior do edifício.

In DN

Rolling Eyes

_________________
Amigos?Longe! Inimigos? O mais perto possível!
Joao Ruiz
Joao Ruiz

Pontos : 32035

Ir para o topo Ir para baixo

Malásia Empty Polícia já deteve 1.400 pessoas e lançou gás lacrimogéneo

Mensagem por Joao Ruiz Sab Jul 09, 2011 9:12 am

.
Polícia já deteve 1.400 pessoas e lançou gás lacrimogéneo

por Lusa
Hoje

Malásia Ng1574227

Mais de 1.400 pessoas foram detidas hoje pela polícia em Kuala Lumpur, na Malásia, durante uma manifestação que juntou entre 20 a 50 mil manifestantes que reclamam reformas políticas no país.

A polícia utilizou gás lacrimogéneo para dispersar os manifestantes e entre os detidos contam-se membros eleitos e outras figuras da oposição.

As manifestações de oposicionistas do regime malaio são raras, a última remonta a 2007, e a concentração de hoje estava a ser anunciada há várias semanas por cerca de 60 organizações.

Os manifestantes reclamam que as próximas eleições gerais na Malásia, que se prevê ocorram em 2012, sejam "livres e transparentes", e exigem medidas que impeçam os votos múltiplos e comprados.

Apesar de terem sido proibidos de se manifestar e dos avisos do Governo contra os riscos de "detenções preventivas", as agências internacionais adiantam que entre 20 e 50 mil pessoas marcharam nas ruas da capital.

Em conferência de imprensa, o inspector geral da polícia Ismail Omar deu conta da detenção de 1.401 pessoas, das quais "a maioria será libertada sob caução tão breve quanto possível".

Entre os detidos contam-se apoiantes do antigo vice-primeiro-ministro e opositor Anwar Ibrahim, 64 anos, que, segundo fontes citadas pelas agências, ficou ferido na manifestação e encontra-se hospitalizado.

O presidente do partido islâmico pan-malaio (PAS), Adbul Hadi Awang, terá sido igualmente detido.

A manifestação de hoje é o culminar de semanas de pressão sobre o Governo do primeiro-ministro Najib Razak para que reforme as leis eleitorais e promova a transparência antes do ato eleitoral esperado para 2012.

As autoridades malaias tomaram medidas de excepção encerrando dezenas de estradas em direcção à capital, fechando estações de comboio e enviaram carros com canhões de água para as imediações do Estádio da Independência, o local de concentração dos manifestantes.

In DN

Embarassed Rolling Eyes

_________________
Amigos?Longe! Inimigos? O mais perto possível!
Joao Ruiz
Joao Ruiz

Pontos : 32035

Ir para o topo Ir para baixo

Malásia Empty Os 1.600 opositores ao regime malaio já foram libertados

Mensagem por Joao Ruiz Dom Jul 10, 2011 8:38 am

.
Os 1.600 opositores ao regime malaio já foram libertados

por Lusa
Hoje

Malásia Ng1574915

A polícia malaia anunciou hoje a libertação dos 1.600 opositores detidos no sábado durante um protesto não autorizado, durante o qual morreu um dos manifestantes devido a dificuldades respiratórias.

"A morte não teve nada a ver com a manifestação, foi um ataque cardíaco e não houve quaisquer ferimentos, internos ou externos", declarou o porta-voz da polícia, Ramli Mohamed Yoosu.

Para os opositores, no entanto, não ficou esclarecido se a morte do manifestante está relacionada com as cargas policiais.

A polícia usou, por diversas vezes, gás lacrimogéneo contra os manifestantes.

Segundo o porta-voz da polícia, os 1.667 manifestantes detidos, entre os quais inúmeras figuras da oposição e parlamentares, foram libertados por volta da meia-noite de sábado.

A oposição, que conseguiu um bom resultado nas eleições de 2008, receia o próximo escrutínio, previsto para 2013, e reclama reformas eleitorais, como por exemplo a utilização de tinta indelével para evitar os votos múltiplos, igualdade de acesso aos meios de comunicação social e verificação dos cadernos eleitorais.

Apesar da proibição de se manifestarem, das prisões preventivas e do bloqueio dos principais eixos de acesso, cerca de 50.000 pessoas desceram às ruas de Kuala Lumpur no sábado, segundo os organizadores.

O protesto terminou com confrontos esporádicos entre a polícia e pequenos grupos de manifestantes.

A Malásia, uma federação de 28 milhões de habitantes, é membro do conselho dos Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas e é governada pela mesma coligação desde a independência, em 1957.

O actual primeiro-ministro, Najib Razak, cultiva a imagem de um país emergente com uma economia forte (com um crescimento de 7,2 por cento no ano passado) e uma vida política aberta.

Mas a tentativa de impedir o protesto de sábado, a primeira grande manifestação desde 2007, valeu-se críticas por parte da Amnistia Internacional e da Human Rights Watch.

In DN

Embarassed


_________________
Amigos?Longe! Inimigos? O mais perto possível!
Joao Ruiz
Joao Ruiz

Pontos : 32035

Ir para o topo Ir para baixo

Malásia Empty O clube das esposas obedientes

Mensagem por Joao Ruiz Dom Jul 17, 2011 5:33 am

.
O clube das esposas obedientes

por DN.pt
Hoje

Malásia Ng1581441

Um grupo defende que as mulheres devem ser como prostitutas para os maridos, de forma a evitar o divórcio, a violência doméstica ou que estes recorram aos serviços das trabalhadoras do sexo. A polémica está lançada na Malásia, mas também noutros países asiáticos que querem importar o conceito.

As mulheres muçulmanas que queiram entrar no paraíso têm de fazer quatro coisas: rezar, jejuar no Ramadão, proteger a sua castidade e ser esposas obedientes. Pelo menos é o que diz Fauziah Ariffin, directora do Clube das Esposas Obedientes, recentemente criado na Malásia. Um clube que defende que as mulheres tratem melhor os maridos na cama e que sejam como prostitutas para eles, de forma a evitar o divórcio, a violência doméstica ou até mesmo que ele procure companhia fora de casa. Uma ideia que está a levantar polémica.

In DN

Embarassed Laughing

_________________
Amigos?Longe! Inimigos? O mais perto possível!
Joao Ruiz
Joao Ruiz

Pontos : 32035

Ir para o topo Ir para baixo

Malásia Empty Re: Malásia

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Ir para o topo Ir para baixo

Ir para o topo


 
Permissão neste fórum:
Você não pode responder aos tópicos