Faianças Bordalo Pinheiro guardam mais de 800 peças, muitas inéditas

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Faianças Bordalo Pinheiro guardam mais de 800 peças, muitas inéditas

Mensagem por Kllüx em Qua Mar 23, 2011 7:33 am

Design: Faianças Bordalo Pinheiro guardam mais de 800 peças, muitas inéditas




Lisboa, 23 mar (Lusa) - A Fábrica de Faianças Rafael Bordalo Pinheiro, com 125 anos, guarda um acervo com mais de 800 peças, muitas delas nunca produzidas, um "potencial imenso que se começou agora a explorar", segundo o presidente da empresa proprietária.

Numa entrevista à agência Lusa no evento "7 Bordalianos", que decorreu terça-feira à noite no Museu do Design e da Moda (MUDE), em Lisboa, o presidente da Visabeira, Paulo Varela, destacou que as peças cujos moldes foram desenhados por Rafael Bordalo Pinheiro (1846-1905), e nunca produzidas e comercializadas, "têm grande qualidade e originalidade".

Em resultado de uma parceria com o MUDE, o Grupo Visabeira, principal acionista da fábrica localizada nas Caldas da Rainha, lançou também sete peças originais criadas por artistas portugueses contemporâneos, inspiradas no imaginário bordaliano.

O serviço de mesa de Bordalo é um exemplo das peças que estão a ser recuperadas do vasto e histórico acervo da fábrica de faianças - que esteve para encerrar há cerca de um ano por dificuldades financeiras - e que a Visabeira pretende comercializar.

"Inicialmente havia a expetativa de identificar entre 200 a 250 moldes, mas o levantamento feito até agora revelou mais de 800 moldes de peças, muitas delas nunca produzidas", indicou à Lusa.

O lançamento e comercialização do serviço e das peças "7 Bordalianos", segundo Paulo Varela, "marca uma nova era" na vida da fábrica, onde o grupo pretende "aplicar uma dinâmica e nova vida às faianças Bordalo Pinheiro".

"O serviço de mesa que agora lançamos em estreia mundial é de grande beleza e tem esse toque de originalidade por ter sido desenhado pelo próprio Bordalo", salientou.

As peças do serviço, em fundo branco, apresentam motivos desenhados a azul com imagens típicas de Lisboa, como a Torre de Belém, a figura popular da varina e crustáceos usados na gastronomia local como a lagosta e as amêijoas.

Por outro lado, o repto lançado aos sete artistas contemporâneos para "reinventar o imaginário bordaliano" visa "criar uma aliança entre a tradição, através do legado de Bordalo, e os novos criadores".

"Esperamos que esta seja uma primeira de várias iniciativas que se repitam nos mesmos moldes. Queremos recuperar o acervo e lançar peças inéditas de Bordalo, mas também reinventar o seu imaginário para chegar a um público mais abrangente", salientou.

Bela Silva, Catarina Pestana, Elsa Rebelo, Fernando Brízio, Henrique Cayatte, Joana Vasconcelos e Susanne Themlitz foram os artistas convidados a interpretar, cada um com a sua linguagem própria, o universo bordaliano.

As sete peças comemorativas, ao mesmo tempo utilitárias e decorativas, dos 125 anos da Fábrica Bordalo Pinheiro terão uma edição limitada, mas as apresentadas no jantar e o próprio serviço ficarão patentes ao público no museu numa instalação própria, no MUDE.
avatar
Kllüx

Pontos : 11177

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum