..visigodes em Portugal

Ir em baixo

..visigodes em Portugal  Empty ..visigodes em Portugal

Mensagem por Vitor mango em Qui Maio 31, 2012 9:27 am

MARTIN PAGE A PRIMEIRA ALDEIA GLOBAL
promisso, no entanto, de que, se houvesse a garantia do salário, estariam disponíveis para regressar ao trabalho.
Só que, de facto, já não existia um mercado de produtos agrícolas, e os ordenados ficavam por pagar. A burocracia e a magistratura romanas, que, durante tanto tempo, tinham sobrevivido na Lusitânia à custa de um poder fictício, acabaram por ceder. O poder caiu na rua e o resultado foi a destruição maciça atrás descrita. As únicas pessoas que tinham granjeado o respeito e a popularidade suficientes para conseguirem impor a paz e a ordem eram os bispos cristãos. Constituíam também o único grupo capaz de reclamar em Roma, junto do Papa, o reconhecimento da nova ordem. Em finais do século III, a Igreja tinha-se constituído como a verdadeira administradora e promotora da justiça, uma espécie de governo, se é que a Lusitânia ainda existia.
O bispo de Mérida, a cidade capital, foi criticado por utilizar em proveito próprio ou na compra de paramentos e cálices riquíssimos as dádivas dos fiéis à Igreja. Apesar de t,a.do, também construiu o primeiro hospital da cidade, onde os doentes eram tratados gratuitamente, e uma hospedaria, também grátis, destinada ao alojamento de visitantes. Fundou, ainda, um banco que emprestava dinheiro com juros a baixas taxas, visando o desenvolvimento de empresas comerciais e, consequentemente, criar mais prosperidade.
Nos princípios do século IV, Prisciliano, bispo de Ávila, conseguiu reunir um grande número de crentes nos distritos mais pobres do interior de Portugal. Denunciou publicamente os seus irmãos no clero pela sua riqueza e ganância. Apontou a pobreza e a privação como atitudes especialmente estimadas por Deus. Pregou a abnega- ção rigorosa, preconizando o celibato e o vegetarianismo. Era, neste caso, um seguidor de Santiago. Desafiou, ainda, o cristianismo ortodoxo, ao recusar a doutrina da Santíssima Trindade. Negou o nascimento divino de Jesus, defendendo ser este como qualquer ser humano, que só mais tarde foi por Deus repleto com o dom do Espírito Santo. Tal facto nada tinha de inédito, já que alguns profetas também haviam sido dotados de graças divinas e os homens que serviam a Deus podiam ser por Ele abençoados, tanto então, como no futuro. Como os homens, também as mulheres tinham a mesma possibilidade de serem imbuídas por Deus, podendo, como eles, rece-
Em qualquer outra época, Prisciliano e os seus seguidores, ao tentarem igualar-se a Cristo, teriam sido acusados de heresia pela Igreja oficial. Parece, de facto, ter havido, nesse tempo, uma notável tolerância no interior do mundo cristão. Apesar das pressões dos poderosos sobre o Papa, São Martinho de Tours e muitas outras figuras destacadas da ortodoxia, ninguém condenou publicamente o priscilianismo, ainda que discordando da sua doutrina. Mercê do exagero colocado no culto do desprendimento dos bens materiais, as terras de cultivo começaram a ficar ao abandono. Os poderosos, designadamente os proprietários dos terrenos, moveram, então, forte perseguição a Prisciliano, tendo conseguido a sua execução3, o que, contrariamente ao desejado, aumentou ainda mais a popularidade da heresia junto da população.
Particularmente em relação à personagem de Cristo, os prisciliamistas tinham bastante em comum com as tribos germânicas do Norte da Europa, seguidoras dos ensinamentos de Ariano. O seu carácter herético fez com que estas tribos tivessem vivido, durante mais de um século, sob a constante opressão imposta pelo cristianismo oficial romano. Deslocavam-se através da Europa, dos Balcãs à Grécia, em busca de uma terra, procurando bens e produtos que pudessem pilhar ou tão-somente por razões de vingança. Durante algum tempo, dominaram grande parte da França, invadiram e destroçaram a própria Roma, refugiando-se, finalmente, na Ibéria, onde se fixaram entre os seus correligionários.
Os visigodos são frequentemente referenc
iados como um povo constituído por tribos fortemente interessadas na conquista e na imposição de um domínio estrangeiro. Em Portugal, no entanto, independentemente de eventuais façanhas militares, o número desses imigrantes não devia ir além dos 50 000, ou seja, cerca de 12 vezes menos do que os indígenas. São Martinho, o bispo católico de Braga, entronizou e ungiu o seu líder como rei — mas à custa da sua conversão pública ao catolicismo. Mas rei de quê? As leis e costumes germânicos que tinham trazido consigo só se aplicavam a eles próprios. A res-
3 Acusados de magia, defesa de doutrinas heréticas e práticas religiosas imorais, Prisciliano e quatro dos seus discfnulos foram condenados à morte, em 348, na


_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ
..visigodes em Portugal  Batmoon_e0
Vitor mango
Vitor mango

Pontos : 113102

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum