sera ou vai ser um Bom Presidente ou é só Trampas

Novo Tópico   Responder ao tópico

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

sera ou vai ser um Bom Presidente ou é só Trampas

Mensagem por Vitor mango em Qui Ago 11, 2016 12:32 am

Não alinho em julgamentos publicos e tal como V. Exas ja julguei o Trampas como um xanfrado....nem louco é
But calma
O Bush ´filho antes de ser eleito garantia e jurava que se ia desinteressar do mundo e só dedicar-se á america e ao seu bem estar
Porque se meteu no iraque ?

Um Cha entre amigas uma a mulher do Chinney fez toda a diferença)


a Dita diz ao marido e este ao Bush que o Iraque estava carregado de armas macias ...e o Bush telefona á FBI
...Não sabemos de nada garantiram !
Telefona ao Durão Barroso
- Tu Vistes armas macias no Iraque ?
E$U vejo tudo desde que me paguem em Euros ou dólares



But... eu kanaminha considero mais perigosa a Hillary que o Trampas

??????????
Ehy pah a gaja recebeu cacau de tudo o que é Lobby nos EUA ...Judaico dos Gays do Wall streat ...das armas e enquanto o Sandes jurava que ia colocar o Wall Streat pianinho e não saiu um Tustu para Israel sem eles dizerem onde o iam colocar a Hillary comentava com um Israelita

- Podem assassinar 100.000 palestianos que eu nem Tusso



Pois nós por cá tivemos um exemplo no Durão Ranhoso ...Iraquianos ..???? matem matem ... but nem sequer gemeu para entrar na nossa corrida presidencial





Última edição por Vitor mango em Qui Ago 11, 2016 12:39 am, editado 3 vez(es)

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ

Vitor mango

Pontos : 106463

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: sera ou vai ser um Bom Presidente ou é só Trampas

Mensagem por Vitor mango em Qui Ago 11, 2016 12:32 am

Há limite para as trumpices? Não e ele até agradece a publicidade


Apoiantes de Trump acusaram os media de estar com Hillary

  |  REUTERS/Eric Thayer


Pub

Ameaça de morte ou apelo ao voto? Ao dizer que só os ativistas pelo direito às armas podem travar Hillary, o candidato republicano gerou a mais recente tempestade de críticas.
Há dias, a Associação Americana de Psiquiatria emitiu um comunicado a pedir aos seus membros para resistirem à tentação de dar um parecer sobre a saúde mental de Donald Trump. "Seria não só contrário à ética, como irresponsável", lia-se no texto publicado no site da associação. Este alerta surge depois de cada vez mais adversários e inúmeros meios de comunicação questionarem se o candidato republicano estará louco. Até Jeffrey Flier, reitor da faculdade de Medicina de Harvard identificava o magnata como "o melhor exemplo" do narcisista, garantindo que usa "vídeos dos seus comícios nos meus seminários".
As últimas declarações de Trump só vieram dar mais argumentos aos rivais de Trump. Na terça-feira, o candidato republicano às presidenciais de 8 de novembro nos EUA sugeriu que cabe aos defensores do direito ao porte de arma impedir Hillary Clinton de nomear juízes liberais para o Supremo. "Se ela escolher os juízes, não há nada que possam fazer. Mas o pessoal da Segunda Emenda talvez possa, não sei", afirmou o milionário. A Segunda Emenda da Constituição americana garante a todos os cidadãos o direito a andar armado.
Palavras que a campanha de Hillary se apressou a qualificar como "perigosas", garantindo que "um candidato à presidência dos EUA não devia sugeria violência de qualquer espécie". Mas houve quem fosse mais longe e visse nas palavras de Trump uma ameaça à vida da rival democrata. Foi o caso de Elizabeth Warren, a senadora do Massachusetts que chegou a ser falada como possível candidata a vice-presidente de Hillary, segundo a qual o candidato republicano "faz ameaças de morte porque é um cobarde patético que não consegue lidar com o facto de estar a perder para uma mulher". Já o também senador Chris Murphy escreveu no Twitter: "Não tratem isto como um passo em falso político. É uma ameaça de assassínio, reforçando a probabilidade de uma tragédia nacional".
Do lado da equipa de Trump, a primeira reação foi desvalorizar os ataques, garantindo que o candidato estava a apelar ao voto dos ativistas pró-armas e não a sugerir qualquer violência contra Hillary. Rudy Giuliani, o ex-mayor de Nova Iorque e um dos principais conselheiros de Trump acusou os media de terem tirado de contexto as declarações do candidato. "O que ele queria dizer é que têm o poder de votar contra ela. Têm o poder de falar contra ela. Sabem porquê? Porque são americanos". Quanto à controvérsia gerada pelas declarações do magnata do imobiliário, Giuliani garante provar que "a maioria da imprensa está com Hillary Clinton. Estão a fazer tudo o que podem para destruir Donald Trump".
"Coisa boa para mim"
Indiferente à polémica, Trump fez aquilo que tem feito melhor ao longo de toda a campanha: tentou tirar proveito da atenção mediática de que estava a ser alvo - boa ou má! "Devo dizer que, em termos políticos, há pouca coisa, e se os media pegarem nisto, até é uma coisa boa para mim", explicou Trump na FOX News. Segundo o magnata, "vai dizer às pessoas mais sobre mim em relação à Segunda Emenda".
Apesar do otimismo manifestado pelo candidato republicano, a última semana tem sido negra para a sua campanha. A cair nas sondagens nacionais - a última da Bloomberg dá 50% das intenções de voto para Hillary contra 44% para Trump, mas algumas dão uma diferença de dois dígitos entre os dois -, Trump tem multiplicado as polémicas e críticas. Sobretudo desde que atacou os pais de um soldado muçulmano morto no Iraque, disse que a filha mudaria de emprego se fosse vítima de assédio sexual ou foi acusado de expulsar um bebé de um comício por estar a chorar. Mesmo vindas de um candidato que já habituou o mundo às suas trumpices - seja contra as mulheres, contra os mexicanos ou contra os muçulmanos - esta sequência de controvérsias conseguiu afastar ainda mais o próprio partido do seu candidato.
Não só líderes como o speaker da Câmara dos Representantes, Paul Ryan, ou John McCain, senador do Arizona e candidato às presidenciais de 2008, criticaram o seu ataque contra os pais do capitão Khan, morto no Iraque em 2004, como um grupo de 50 peritos em segurança nacional republicanos publicaram uma carta a alertar para o perigo que um presidente Trump representaria para os EUA.
Enquanto vários eleitos republicanos - a última foi a senadora Susan Collins - já garantiram que não irão votar em Trump a 8 de novembro, um estudo da Reuters/Ipsos revela que o descontentamento com o milionário parece estar a chegar às bases. Mesmo entre os republicanos, 19% acham que Trump devia desistir da corrida à Casa Branca.

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ

Vitor mango

Pontos : 106463

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: sera ou vai ser um Bom Presidente ou é só Trampas

Mensagem por Vitor mango em Qui Ago 11, 2016 12:40 am

Foi o caso de Elizabeth Warren, a senadora do Massachusetts que chegou a ser falada como possível candidata a vice-presidente de Hillary, segundo a qual o candidato republicano "faz ameaças de morte porque é um cobarde patético que não consegue lidar com o facto de estar a perder para uma mulher".

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ

Vitor mango

Pontos : 106463

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: sera ou vai ser um Bom Presidente ou é só Trampas

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 9:32 pm


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você pode responder aos tópicos neste fórum