20 Minutos - Breno Altman: Por que Israel pode ter a bomba atômica?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

20 Minutos - Breno Altman: Por que Israel pode ter a bomba atômica?

Mensagem por Vitor mango em Qua Set 27, 2017 1:03 am


_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ
avatar
Vitor mango

Pontos : 108847

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 20 Minutos - Breno Altman: Por que Israel pode ter a bomba atômica?

Mensagem por Vitor mango em Sab Set 30, 2017 12:12 am

Será que Israel se tornará membro do Conselho de Segurança da ONU?
contact@ifamericansknew.org 25 de setembro de 2017 absinto, BDS, cimeira de Israel-África, américa latina, nikki haley, conselho de segurança, unesco, unsc
Será que Israel se tornará membro do Conselho de Segurança da ONU?

O Conselho de Segurança das Nações Unidas em Nova York, também conhecido como o Quarto Norueguês (Foto: Patrick Gruban)

Ramzy Baroud, Foreign Policy Journal

Israel procurou desesperadamente ser legitimado pela ONU, ao mesmo tempo em que é o máximo para deslegitimar a ONU.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU).

Desde a sua criação nas ruínas das cidades e aldeias palestinas em 1948, Israel teve o relacionamento mais precário com o maior organismo internacional do mundo.

Procurou desesperadamente ser legitimado pela ONU, enquanto é o máximo para deslegitimar a ONU.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, acusou o Conselho dos Direitos Humanos das Nações Unidas (UNHRC) de condenar os abusos dos direitos humanos de Israel no Território Palestino Ocupado em março de 2014. Ele prometeu "continuar a denunciar e expor" a procissão da ONU "de hipocrisia".

Durante muitos anos, líderes israelenses e funcionários do governo tornaram o hábito de minar a ONU e seus vários órgãos e, com o apoio incondicional de Washington, habitualmente ignorou numerosas resoluções sobre a ocupação ilegal da Palestina.

Até certo ponto, a estratégia israelense de usar e abusar da ONU funcionou. Com os vetos dos EUA bloqueando Israel para acabar com sua ocupação militar e violações dos direitos humanos, Israel não teve pressa em cumprir com o direito internacional.

Mas dois grandes eventos forçaram a repensar Israel.

Abstenção da ONU e BDS

Primeiro, em dezembro de 2016, os Estados Unidos se abstêm de um acordo nos Territórios Palestinianos Ocupados.

Ao romper com uma tradição de décadas de proteger Israel de qualquer censura internacional, parece que até a fidelidade aparentemente eterna de Washington a Tel Aviv era incerta.

Em segundo lugar, o movimento de Boicote, Desinvestimento e Sanções liderado por palestinos (BDS) começou a mudar a dinâmica da política internacional em relação à ocupação israelense.

Civis palestinos e o povo palestino, o povo palestino e o povo palestino. Centenas de grupos BDS locais se multiplicaram em todo o mundo, unidos por artistas, acadêmicos, sindicalistas e políticos.

Dentro de alguns anos, a ocupação israelense e a demanda por justiça para o povo palestino.

O UNHRC recentemente se juntou, declarando sua intenção de lançar uma lista, expondo assim os nomes das empresas que devem ser boicotadas para operar em assentamentos israelenses ilegais.

Os esforços do grupo dos direitos humanos foram acompanhados por repetidas condenações das violações dos direitos humanos de Israel, conforme registrado pela agência das Nações Unidas, a UNESCO.

Isso significava um Conselho de Segurança da ONU.

As ações do UNHRC e da UNESCO estimularam uma determinada campanha israelense-americana para deslegitimá-los.

Desde as aventuras da Administração Donald Trump para o poder, e com a ajuda de seu embaixador na ONU, Nikki Haley, Washington travaram uma guerra contra a ONU, usando a intimidação e as ameaças de retenção de fundos.

A UNESCO insistiu em sua posição, apesar do corte de fundos. Enquanto isso, o UNHRC decidiu acompanhar a publicação da lista de empresas, apesar das ameaças dos EUA para retirar completamente o corpo de direitos humanos.

O TripAdvisor ™ fornece comentários imparciais, artigos, recomendações e opiniões sobre hotéis em Coca-Cola, incluindo resorts, estalagens e pousadas em Coca-Cola. Inclui também empresas nacionais israelenses e dois grandes bancos.

Funcionários israelenses fumaram. O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Tzipi Hotovely, acusou "A ONU está jogando com fogo", ameaçando que esta iniciativa cause mais perda de UM orçamento.

Ela declarou que ela e os israelenses estão trabalhando juntos para iniciar uma "revolução" no Conselho de Direitos Humanos através de um plano de ação conjunto.

Aliados na América Latina?

Os sinais desta estranhamente denominada "revolução" já são evidentes. Além de atrapalhar os órgãos da ONU financeiramente, Israel está pressionando os países do Sul que tradicionalmente apresentaram solidariedade com os palestinos devido aos laços históricos comuns da opressão estrangeira e das lutas anti-coloniais.

Netanyahu acabou de completar uma viagem à América Latina, considerada a primeira por um primeiro-ministro israelense. Na última etapa de sua viagem ao México, ele ofereceu para "desenvolver a América Central".

Palestina. Autoridade Palestiniana. Palestina. Autoridade Palestiniana. Palestina.

A ironia que, para

_________________
Só discuto o que nao sei ...O ke sei ensino ...POIZ
avatar
Vitor mango

Pontos : 108847

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum